Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

16 de maio de 2010

Capítulo 35: Quem tem boca "vaia Roma"

Quem tem boca “vaia Roma”

A moderna Igreja Católica o Sacro Concílio de Assuntos Eclesiásticos deveria sintonizar e agir em consonância com os líderes da Igreja e o povo que é a voz de Deus. Mesmo sendo a mais organizada, na prática a Cúria Romana não funciona assim. Os “assessores”, funcionários do Vaticano, os pastores que são seu clero, ouvem apenas a si mesmos, através do Espírito Santo. Esse problema relacionado a seu líder o papa (vigário geral) existe desde a fundação da Igreja, que não conseguiu se livrar ainda das trevas, resultantes da má interpretação das Escrituras.
A Igreja Oriental se separou da Ocidental, por essa razão. A Oriental não via problema em ter o papa como primeiro entre iguais, desde que não agisse sozinho mas sim com todos os bispos e igrejas. A Ocidental se dividiu depois em Protestantismo e Catolicismo, também por causa do autoritarismo do papa e de que algo precisava ser mudado. Em 2006 o papa Bento XVI, renunciou ao titulo de Patriarca do Oriente. Para o papa, “Sumo Pontífice, Soberano do Estado do Vaticano”, não existe prestação de contas e, se as pessoas não o seguirem, pode simplesmente dizer que elas são pecadoras. Ele não está aberto à idéia de que alguma coisa precisa ser mudada e o que precisa ser mantida em relação aos costumes e dogmas religiosos, como já comentei em capítulos anteriores. Ratzinger entende que a Igreja não deve ceder em circunstância alguma. - "Uma Igreja preocupada em adaptar-se aos desejos dos homens, perderia a sua razão de ser"
Somos Igreja (também conhecido como Wir sind Kirche é um movimento de reforma dissidente dentro da Igreja Católica Romana. Ela enfatiza o espírito do Concilio Vaticano II sobre a carta do Conselho, e insiste na ruptura entre o pré-conciliares e pós-conciliar. A organização quer mudar as políticas da Igreja Católica Romana das seguintes maneiras: Menos hierarquia; maior participação das mulheres na Igreja, nomeadamente sacerdotes do sexo feminino; acabar com a exigência do celibato no sacerdócio; atitude positiva face à sexualidade, incluindo a homossexualidade. Promover uma mensagem de alegria, em vez de ameaça ou discriminação.

"O papa tem um estilo solitário e absolutista de governar. Não aceita conselhos, opiniões e críticas e isto cria problemas, inclusive nos setores moderados da igreja", afirmou, em entrevista à BBC Brasil, o vaticanista Marco Politi, que acabou de publicar o livro A Igreja do Não, pela editora Mondadori.
Desse modo a Igreja Católica Apostólica Romana vai perdendo algumas das mentes brilhantes, que nem no período da Idade Média, Idade das Trevas. Por não acompanhar as transformações do mundo
vão se afastando dos católicos que não adotam as regras da Igreja em assuntos relacionados a ordenação das mulheres, comportamento, sexo e a ciência.
A mensagem de que – apenas a graça do Divino - de Deus, salva a humanidade, é idiota e desastrosa. O Papa disse solenemente:

“...A Igreja de Roma é a única e verdadeira encarnação de Deus...”

Terá sido esse o motivo que Hitler, Mussolini, também tentaram controlar a mente e os corações das pessoas. Como se explica a benção dada e a aliança realizada com estes ditadores ? O Papa Pio XII , aliado a maldade humana !
As mulheres faveladas não tem acesso a política de Planejamento Familiar e métodos de anticoncepção ou ao aborto. No Brasil 4 milhões de mulheres, a maioria católicas, realizaram aborto nos últimos 20 anos. Em cidades do interior o acesso ao mais elementar meio de contracepção – a camisinha – é restrito, pois há padres católicos que usam sua autoridade para demonizar o prefeito que estimula a distribuição de graça de camisinha (e depois demoniza a mulher que faz aborto...!) Então os adversários do aborto não deveriam estar distribuindo anticoncepcionais e ensinando as crianças no colégio a usa-los? Seria um modo eficaz de reduzir o número de abortos.

A questão , por exemplo, do Aborto condenado pela Igreja Católica, que alega que, o direito à vida começa na fecundação, é consagrada na Bíblia e deve ser respeitada em qualquer circunstância. O Antigo Testamento e o Novo Testamento – ricos em proibições espantosamente detalhadas a respeito de vestimentas, dietas e palavras permitidas - não contém nenhuma única palavra proibindo de modo específico o aborto. As passagens, remotamente relevantes “ensinada” aos cristãos em Êxodo 21:22, 23, decreta que “se houver uma briga e uma mulher grávida for acidentalmente machucada e forçada a abortar, o atacante deve pagar uma multa” e pasmem: “ Mas se houver dano grave, então darás vida por vida”. Em Oséias 13:16 a sabedoria de Deus e o castigo, diz: “Samaria levará sobre si a sua culpa, porque se rebelou contra o seu Deus, cairá a espada, seus filhos serão despedaçados, e as suas mulheres grávidas serão abertas pelo meio.” Nem Santo Agostinho, nem são Tomás de Aquino foram tão insanos e consideravam homicídio o aborto nos primeiros meses de gestação ( o último alegando que o embrião não parece humano). O Talmude judaico ensina que o feto não é uma pessoa e não tem direitos.
Hoje em dia na maioria dos países europeus, por exemplo, o aborto induzido por escolha da mulher é permitido. É uma interrupção voluntária da gravidez. Apesar de muitos países serem católicos essa medida surge, segundo seus defensores, em defesa da legalização do aborto ou despenalização da prática da interrupção, como forma de acabar com os abortos clandestinos. Existem vários causas e tipos de aborto: Voluntário, Honoris causa, Eugénico ou profilático, por motivos sociais,; InvoluntárioIndireto.
Existem os movimentos chamados pro-life ou pró-vida, organizações de protestos pacíficos, embora algumas vezes, de forma radical, usam bombas e armas mortíferas nos ataques a clínicas onde se praticam os abortos, como nos Estados Unidos da América e na França. As defensoras do direito das mulheres americanas o Livro em Gênesis 3:16 diz: “E à mulher disse: Multiplicarei sobretudo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará.”
A Organização Mundial de Saúde considera que o abortamento só existe quando o peso do embrião (o período embrionário termina na oitava semana depois da fecundação, quando a ser denominado de feto) ou feto ultrapasse os 500 gramas, peso atingido em torno das 20 a 22 semanas de gravidez.
A única questão que está em cima da mesa é: a vida começa ou não na fecundação? A ninguém deve ser impedido de fazer o que queira.

As mulheres tem o direito de optar por interromper a gravidez indesejada ?

Se,concluir que um embrião não é uma pessoa então faz sentido criminalizar o aborto ?
Se Deus é soberano, para realizar as vontades Dele, como podemos ser livres ?
Se Deus está, no controle completo de todas as coisas, dentre as quais a escolha humana, como então podemos ser verdadeiramente livres ?

E você caro leitor o que acha ?

Antes de responder, lembre-se das milhares de mulheres, que foram mortas ou infertilizadas pelos abortos clandestinos. Muitas mulheres, principalmente as de baixa renda, acabam morrendo, junto com os bebês. Do número de crianças abandonadas que não tiveram o apoio da família e da sociedade para viverem em um ambiente saudável. Vamos ser frios e racionais: é preferível a criança não vir ao mundo ou vê-la nos lixões catando comida para sobreviver? Sou a favor do direito de escolha da mulher. A Bíblia também é: Eclesiastes, capítulo 6, versículo 3. Mas vejamos as imbecibilidades sobre a gravidez que aparecem na Bíblia: Oséias 9:14,16 diz: “Dá-lhes, ó Senhor; que lhes darás? Dá-lhes um ventre estéril e seios secos”. “Ferido está Efraim, secaram-se as suas raízes; não dará fruto; ainda que gere filhos, eu matarei os mais queridos do seu ventre.” Em Reis II 15:16. “Então Menaém feriu a Tifsa e a todos os que nela havia, como também a seus termos desde Tirza. Porque não lhe abriram , por isso a feriu, e a todas as mulheres grávidas fez rasgar pelo meio”.
Não podemos mais permanecer omissos diante de uma possibilidade de uma tragédia próxima. Felizmente em nosso país, já temos casos previstos em lei (risco de morte para mãe e estupro) e as interrupções garantidas por decisão judicial (caso de má-formação do feto letal, como anencefalia). Para os casos previstos expressamente na legislação não é preciso autorização da Justiça.nem boletim de ocorrência policial. Mulheres violentadas já têm o direito de fazer aborto na rede de saúde pública.
As previsões de aumento da população mundial são alarmantes. Dobra em bilhões a cada quarenta anos. A produção de alimentos são modestas. A fome não é mais apenas uma ameaça. A fome já é uma realidade que já atinge hoje uma grande parte da humanidade e as estatísticas apontam para o agravamento da situação.
Setores religiosos, em todo o mundo, reagem diante da tese de um controle de natalidade por meios artificiais, alegando que a solução ideal seria aumentar a produção de alimentos em vez de limitar o índice de nascimentos. Ora, é mais fácil dizer isso do que agir e fazer. Sabemos muito bem que, além da natural imprevisibilidade das condições climáticas (grandes previsões de secas crescentes - efeito estufa- aquecimento global), quebra de safras, o aumento constante do preço do petróleo, o encarecimento dos insumos na agricultura são fatores que oneram o preço dos alimentos e são adversas para a expansão. Hoje, com a explosão demográfica, somos forçados a rever essa tendência e controlar os nascimentos.

Na questão de métodos contraceptivos e DST-preventivos, a igreja católica é contra, mesmo que sabendo que aumenta o avanço do HIV/Aids o qual se alastra pelo mundo. É a favor da castidade, do método Billings, do método da temperatura e a contagem dos dias. Por conseqüência também se opõe ao uso de preservativo e da pílula. Essa posição representa risco à saúde da sociedade perante doenças sexualmente transmissíveis e um aumento das situações de gravidez indesejada. O que mais me revolta é saber que existem grupos religiosos conservadores que condenam os métodos existentes e ainda pregam o contrário. E os jovens que morrem de Aids todos os dias? E as doenças sexualmente transmissíveis? Quem se responsabiliza por tudo isso? O governo faz a sua parte? A Igreja Católica? Quem?
O Presidente da República, reeleito do Brasil, Lula, depois de defender um aprofundamento da discussão sobre a legalização do aborto, declarou:
“Se perguntarem para mim, sou contra, mas, meu Deus do céu, quantas madames vão fazer aborto em outro país enquanto as mulheres pobres morrem na periferia dos centros urbanos ?”

Depois do amor à vida, o sexo é a maior e mais ativa fôrça e ocupa quase todas as vontades e pensamentos da porção mais jovem da humanidade. A Igreja condena o sexo antes do casamento. Sobre o casamento a religião transforma o homem numa eterna vítima e Deus num eterno demônio. “E o Senhor me disse: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles olhem para outros deuses, e amem os bolos de passas” Oséias:3:1). “Estás ligado à mulher? Não busques separar-te; estás livre de mulher? Não procures mulher e casamento” Coríntios 7:27.
A inseminação artificial é considerada imoral. Também como o aborto de fetos anencéfalos ou comprovadamente inviáveis: é a própria negação da fraternidade. Eles pretendem mesmo é a preservação de vidas impossíveis e a sobrevivência de pessoas que serão a infelicidade dos pais e da família inteira.
A igreja se opõe e é contra as pesquisas de células-tronco embrionárias (pesquisa e terapia necessitam utilizar embriões). Os bispos não se libertam da antiga tendência de retardar o largo caminho da ciência médica, do progresso da medicina, da experimentação científica da pesquisa com células-tronco e sua potencialidade no combate às doenças. Hoje já temos bons resultados no tratamento com células-tronco somáticas (adultas), disponíveis em quantidade considerável no organismo humano; cordão umbilical, placenta, medula óssea e em várias outras partes do corpo. A utilização das células-tronco embrionárias, apontam nova fase e avanço na medicina , com o revolucionário tratamento de terapia celular regenerativo que é capaz de dar origem a qualquer tecido ou órgão humano. Também poderá trazer respostas para doenças como alguns cânceres, doenças irreversíveis, Alzheimer, Diabetes, Mal de Parkinson, além da recuperação de movimentos de pessoas que lesionaram a coluna ou com problemas de atrofia nas pernas motivadas por esclerose múltipla. Os embriões humanos que são destruídos nas pesquisas com células-tronco não têm cérebro, sistema nervoso, nem sequer neurônios e muito menos “alma” dentro de um tubo de ensaio. Por que não dar uma finalidade mais nobre salvar vidas e os valores do da vida humana dos que sofrem? Se Deus na concepção cristã tudo que faz nunca erra é perfeito e tem um propósito? Ou as escrituras de 2000 anos atrás, estão desatualizadas em nossos tempos ?
Alguns países já permitem as pesquisas, como Austrália, Israel, Japão, Holanda, Canadá, Grécia, Suíça, Finlândia, Coréia do Sul e Reino Unido. Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro produziram a primeira linhagem de células-tronco sem a utilização de embriões no país. Eles usaram a técnica conhecida como pluripotência induzida, responsável pela transformação dos tecidos do organismo, método que permitiu a produção artificial de uma célula adulta por meio da reprogramação do DNA. O resultado reduz a necessidade de destruir embriões para produzir novas linhagens de células pluripotentes. Japão e outros três países já dominam a técnica.
Tudo isso virou uma discussão, moral, ética e religiosa uma vez que, a Igreja Católica se posiciona contra, embora sejam vistas com esperança de cura para muitas doenças e traumas físicos. Radicais da direita cristã são contra as pesquisas. Estão barrando a ciência e, um dia, vão se beneficiar dos seus avanços. Dos avanços, como se diria no vernáculo deles, da imoralidade que salva. Como sempre ainda querem impor e influenciar negativamente a ciência em nome do atraso da humanidade.

Na Europa entre agnósticos, ateus e os que não praticam nenhuma religião o número é cada vez maior. Na Espanha, Alemanha e Inglaterra, menos da metade população só acredita em Deus. Na França, os crentes não chegam a 30%. Resultado da modernidade e o aumento da escolarização e a crescente profissionalização das camadas sociais. Por razões distintas, o ateísmo e os sem fé e sem-religião na Europa vem aumentando.

Igualmente se insurgem contra a voluntária Eutanásia (aqueles que querem por sua própria vontade morrer em paz , devido ao seu estado precário de saúde e doença crônica incurável). Parte do juramento de Hipócrates que é declarado pelos médicos na sessão solene de formatura:
“Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém”.
Tal como proposto no juramento de Hipócrates, quando se refere “em favor do paciente”, tem a óbvia conotação de benefício e de não perseguir “curas” comprovadamente impossíveis de serem alcançadas numa condição terminal, independentemente do tratamento adotado, evoluirá de forma inexorável para a morte. Em pacientes com doença irreversível e terminal, o que os médicos e a medicina podem e devem oferecer são medidas que minimizem a dor e o sofrimento, onde não há mais possibilidade de sobrevivência do paciente.. Assim o indivíduo pode enfrentar seus últimos momentos junto de sua família, em um ambiente de carinho, solidariedade e compreensão, nessa etapa de final de vida. Na Suíça, as mortes assistidas já são permitidas em clínicas especializadas.

São também contra a Ortotanásia (quando as vidas estão condenadas e prestes a extinguir-se, assistida por um especialista e pela família). Muitos países laicos dos Países Baixos, já adotam legalmente essa prática.
Os preconceitos e as concepções, embora falem de “defesa da vida”, fazem abortar a pretensa fraternidade da Campanha da Fraternidade do Brasil. Não é justo, que os religiosos em pleno século 21 queiram impor a todos os crentes ou não, suas convicções que levam a dor, sofrimento, doenças e às trevas. Embora, ter sido exatamente assim que decidiu o papa João Paulo II em seus momentos finais de vida. Até a sua morte o papa conseguiu ajudar uma parcela da humanidade, ao não se submeter a intervenções médicas sabidamente ineficazes.

Embora deva reconhecer que apesar do obscurantismo, a campanha
da fraternidade, inclui temas positivos como drogas e a violência urbana e o trabalho desenvolvido através da Pastoral do Menor Carente (PaMen). Sabemos também que em nosso país, três bispos tenham se destacado e receberam até ameaça de morte, pela sua luta contra: o tráfico de drogas, desmatamento ilegal da floresta amazônica, exploração prostituição sexual e tráfico internacional de mulheres. Mas por outro lado, a Igreja Católica na Amazônia apóia a autonomia dos povos indígenas. Que por sua vez exploram madeiras nobres, ouro, diamantes e minerais nobres como o nióbio. Seria justo proibir a presença militar, em terras indígenas como na Reserva Raposa – Serra do Sol no estado de Roraima ? Sua área é equivalente a metade da Bélgica nas mãos de 15 mil índios?

Mas se os bispos são mesmo herdeiros das idéias de Jesus e de São Paulo, deveriam aceitar as mulheres como sacerdotisas e bispas. Os bispos católicos romanos, que reivindicam para si uma ligação direta com os apóstolos, são contra a ordenação de mulheres. Jesus acharia um absurdo e Paulo um escândalo.

Então está na hora, em vez de patrulha moral, miséria que brutaliza e destrói o ser humano, mais do que nunca de receberem uma nova mensagem superior ou divina e reescrever a história. Depois de mais de 1500 anos ou como os arqueólogos não confirmam esta data e teria sido escrita após o Código de Hamurabi ou vários textos sumérios da Mesopotâmia. Mas o importante não é a época que foi escrita, mas quando terminou e ainda assim perderia largamente para os Hinos Sagrados Hindus, os Vedas, que foram totalmente escritos por volta de 900 a . C. e se declaram também divinamente inspirados. Reformular a Bíblia, com uma nova abordagem pela razão, científica e empatia ao ser humano, do que uma cega aceitação de cânones e dogmas religiosos seculares que tantos prejuízos vem causando a humanidade.

“O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão”

Benjamin Franklin


Por essas e outras razões, como o preconceito contra a homossexualidade, o Papa Bento XVI, foi barrado de fazer a aula inaugural na “Universidade La Sapienza” de Roma, em nome do Estado laico. Esta é a maior Universidade da Europa com 145 mil estudantes, 4500 professores e um orçamento de 900 milhões de euros. Em 2008 pela atual postura dos religiosos, logo o Sumo Pontífice, sucessor de São Pedro (“você é Pedro...eu lhe darei as chaves do Reino do Céu”), em vez de bênçãos irá receber as vaias do povo.

“Quem tem boca vai a Roma”,antigo ditado, que é uma interpretação do original, agora é “Quem tem boca, vaia Roma”, vaias para os que continuam, atrelados a velhos preconceitos e dogmas.!

“Na cruz, 1 bilhão de católicos sabem, do lado direito e esquerdo de Vosso Senhor Jesus Cristo, estavam dois ladrões: Dimas e Gestas. O Bom e o Mau Ladrão. À esquerda, como sói, estava o bom ladrão. À direita, ninguém pode duvidar, estava o mau ladrão. Não todos mas metade dos cristãos sabe disso, até por que se os fiéis tivessem senso de humor, o que restaria da religião?. Os dois eram “trombadinhas” de estrada. Conta a mitologia, perdão o Evangelho. É que Dimas era considerado Bom ladrão porque sua patota assaltou o Primeiro Casal, na estrada em Jericó, a caminho da Manjedoura, Dimas percebeu que havia alguma coisa especial por ali e impediu a turma de assaltar a suposta Virgem. Gestas, o Mau ladrão, ainda roubou o invólucro de incenso que estava com o futuro São José. Façam as contas, Cristo ainda ia nascer. Mesmo que os ladrões tivessem apenas 15 anos, já teriam 48 anos quando pendurados na cruz. Numa época média de vida que não alcançava os 40.
Dimas hoje é o padroeiro de criminosos, agentes funerários, condenados à morte e, claro, ladrões. Estive examinando a atual situação brasileira e descobri que nesse malabarismo todo, não há bons ladrões. E não estou falando no lado moral. Estou falando no lado profissional. São todos maus. Absolutamente incompetentes.

Não sou contra ninguém. Mas sou certamente pela verdade. Qualquer coisa que é contra a verdade, estou determinado a criticar. Chamar a igreja católica de organizada é uma linguagem errada. Ela é uma superstição organizada.
Nesses séculos após Jesus, o Cristianismo defendeu todos os tipos de superstições e lutou contra a ciência e toda a verdade. E os líderes dessa guerra e ciência são os papas, que sempre se declararam infalíveis, o que é um absurdo. Mas a sua lógica é que representam Jesus Cristo e o Reino de Deus é a atual Igreja. Assim, de uma forma indireta eles são os veículos de Deus, portanto como podem ser infalíveis? E a infalibilidade, que mesmo errando está correto, de um papa é simplesmente uma tirania ridícula.

Mas a vida não é lógica. Seu próprio Deus é uma ficção. Jesus Cristo como filho unigênito de Deus a partir do momento em que Constantino se apoderou da sua divindade por votação (Concílio de Nicéia) e a tirou dos seguidores originais foi o grande erro da história da humanidade. Sufocaram a mensagem de Jesus e a transformaram em um manto divino muito além do seu alcance. E o Vaticano soube aproveitar politicamente aumentando o seu poder e manter a tradição de enganar os seus fiéis, mandando fazer uma Bíblia novinha em folha, que omitia os evangelhos que falavam do aspecto humano de Cristo e passou a enfatizar aqueles que o tratavam como divino. Mas não sem antes, reunir os anteriores e mandar queimá-los.

Durante trezentos anos os papas travaram uma dura batalha contra e qualquer descoberta científica. A Igreja Católica foi contra o heliocentrismo. O Sol não poderia ser o centro do universo, pois esse lugar perfeito, o centro, era a Terra, obra de Deus. Foi contra a datação do mundo, se insurgiu contra o número zero, noção central para a evolução da matemática e foi contra o estudo da anatomia em cadáveres. Foi até contra o pára-raio – que enviava descargas elétricas punitivas - de vez em quando, enviadas por Deus. Ninguém pode ser vitorioso contra a verdade, mas eles tentaram o máximo. Essa é a única Religião que luta contra a ciência, e essa é uma das razões fundamentais pelas quais critico os papas. Mesmo hoje em dia eles continuam lutando contra a ciência e tecnologia, sabendo perfeitamente bem que serão derrotados todas as vezes e que estão travando uma batalha perdida. Desperdiçam tempo e energia pregando moral e fazendo oposição ao aborto e pesquisas com células-tronco quando deveriam estar lutando contra o genocídio e outras causas nobres. E, mesmo assim continuam-se declarando infalíveis como os antigos imperadores romanos.

Invejo os padres, que podem dizer dentro do confessionário: “Você está perdoado meu filho ou minha filha!”. Imagine a enorme segurança dele por considerar o elo do perdão que vem direto do homem lá de cima. Mas pelo menos eu vivo pelas normas da razão e não confundo mitologia com realidade. Não me ajoelho na frente de uma cruz ou um elefante. Não participo mais da missa e de um ato de simulação civilizada de canibalismo (conforme o sábio Freud), onde a comunidade engole pedaços de carne (a hóstia) e bebe o sangue (vinho) do pai morto, e o pecado senão que um recurso para reprimir os instintos e pulsões naturais dos seres humanos.

Desejo que floresça dentro de cada coração o Humanismo, que seja livre, totalmente livre de toda a crença, irracionalidade, hipocrisia, obscurantismo das doutrinas e dogmas religiosos, de todas as igrejas, de todas as mesquitas. Desejo que você pratique a religiosidade, que o mundo inteiro seja religioso, mas não cristão, católico, hindu, muçulmano – basta apenas que seja bom e principalmente justo.
*************

Nenhum comentário: