Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

6 de junho de 2012

A PROVA - Argumentos da inexistência de Deuses


A PROVA DE QUE NÃO HÁ NENHUM DEUS(SES) ou PROJETISTA

“Eu não tinha necessidade dessa hipótese" (Laplace a Napoleão sobre Deus)

INTRODUÇÃO
Algumas pessoas acreditam erroneamente que é impossível provar a inexistencia de nada, mas eles estão errados.  Outras pessoas usam para dizer que não há maneira de provar se existe um deus ou não, ou mesmo que não podemos obter qualquer conhecimento do (deus agnosticismo ). A minha opinião como um Ateu convicto, é que podemos de fato provar que deus não existe no mundo físico. Este documento é a minha tentativa de fazê-lo.

DEFINIÇÃO DA PALAVRA “DEUS”

Para provar a não-existência de Deus, primeiro precisamos definir a palavra "deus". Quando os cristãos falam de Deus que significa ser um  todo-poderoso. Isso, eu acho, é o único deus que mantém, pois é o único deus que pode ser logicamente justificado.
Acho que faria mais sentido se Deus fosse feminino, pois somente as mulheres podem dar a vida. Algo que até mesmo as pessoas na Idade da Pedra entendiam. Mais tarde, quando as guerras afetaram a evolução cultural, e os homens assumiram o controle da sociedade, Deus se tornou homem, mas o deus do sexo feminino ainda vive na expressão "Mãe Terra". Também deve ser salientado que um Deus onipotente deve ser andrógino ou assexuado. No entanto, na maioria das religiões Deus é masculino assim vou me referir a deus como "ele", "lhe" etc
Algumas pessoas (Einstein, por exemplo) acreditava em um deus que não é um Deus pessoal, mas uma espécie de Deus de Spinoza. Eu afirmo que este deus não é um deus! Dizer que Deus é o universo - tirando o conhecimento do universo temos conhecimento de Deus - é a de redefinir o significado da palavra deus. Isto não tem nada a ver com a Palavra de Deus tal como foi definido pelas culturas "primitivas" que precederam a nossa civilização atual. Ele pode ser afastado com a navalha de Occam , e o mais importante: Tal Deus não ouve orações.
Se Deus não é onipotente, não há nada que o impeça de ser um produto do universo. Se for esse o caso, o que torna Deus divino? Então, Deus seria apenas um estrangeiro, um ser de matéria, provavelmente contendo carne, sangue e DNA, como toda a vida que conhecemos. Deus tudo é capaz de fazer coisas que seriam seres humanos também serão capazes de fazer, todo o seu conhecimento seria o conhecimento também vamos conseguir. ... {Contestando o criacionista: Então, por qual motivo não poderia haver um Majestoso arquiteto? ( “ ...E o homem passou a ser como um de nós”)”.}
Na verdade os seres humanos seriam deuses, o que deve levar a algum tipo estranho de Humanismo!
Muitas pessoas justificam a sua fé com Deus como uma explicação. Qual é o sentido da vida? Onde o tempo e o espaço vem? Quem criou as constantes físicas? et cetera.   Porque nos falta o conhecimento dessas coisas - e talvez nunca será, pois são perguntas como "qual é a cor de um segundo ou "como não gosto de som?" - Deus está lá como uma explicação.
Vamos dizer que Deus é o sentido da vida, qual é então o significado de Deus? Se Deus tem uma natureza, que criou a natureza. Se o tempo e espaço criado por Deus, como Deus pode existir sem ele? Desde a criação é um acontecimento no tempo, como poderia Deus criar o tempo. E quem criou Deus? Para responder a essas perguntas Deus deve ser onipotente, ou então você não pode explicá-los. Na verdade, você pode se dizer que Deus está acima do tempo e espaço e assim por diante (que, aliás, faz se ele é onipotente), mas ser capaz de impedir Deus de estar vinculado a fenômenos futuro, você deve dar-lhe a qualidade de onipotência tão Ele pode estar acima de tudo.

AS QUALIDADES DE UM DEUS ONIPOTENTE

Se Deus é Todo-Poderoso há diversas qualidades que ele deve ter.
Eles são os seguintes:
  • Ele deve saber tudo. Tudo o que é, tudo o que foi e tudo o que será. Para ser capaz de saber tudo o que será que ele deve saber cada posição e cada momento de cada partícula no cosmos (de Laplace "Mundo dos Espíritos").
  • Ele deve ser digno de nossa adoração. Um ser que não vale a pena adorar nenhum deus.
  • Ele deve ser capaz de fazer qualquer coisa. Se há coisas que Deus não pode fazer, ele certamente não é onipotente.
  • Ele deve estar acima do tempo. Algo que nem mesmo S. Agostinho deduzia. Mas não só isso, Deus deve estar acima de todas as dimensões possíveis.
  • Ele não pode ser "bom" ou "mau" ou, de fato, possui caracteristica subjetiva. Se Deus é tudo de bom, ele não pode fazer coisas más e não pode ser todo-poderoso. A maioria das pessoas objetam e dizer que o bem pode fazer mal, mas opta por não fazê-lo. Bem, se Deus é tudo de bom que ele não pode optar por fazer as coisas mal, pode?

O PROBLEMA DA TEODICÍA

Temos também o problema teodiceia, declarou David Hume:
Se o mal no mundo é destinado por Deus, ele não é bom. Se ele viola suas intenções, ele não é onipotente. Existem muitas objeções a isso, mas nenhum que mantém desde que Deus é o responsável pela existência do mal. Além disso, se só Deus pode criar, ele deve ter criado o mal. Se alguém (o diabo) criou o mal, como se pode saber que Deus, e não Satanás criou o universo?
O problema do mal natural. Por que sofremos? Eu  recomendo a leitura do livro de Barth D. Erhman: “O problema com Deus”. As respostas que a Bíblia não dá ao sofrimento

A EVIDÊNCIA ONTOLÓGICA CONTRA OS DEUSES

Necessário um deus é um ser que vale a pena adorar, então se não há, não vale a  pena estar adorando, não pode haver um deus.
Não é nenhuma das religiões existentes que  podem fornecer tal deus. Como podemos saber se não há por descobrir seres merecedores da nossa apresentação? Bem, se existe um ser que tem ou não ou não tentou se comunicar com a gente que não vale a pena estar adorando, por isso a prova ontológica contra Deus tem, mesmo sem o conhecimento completo do mundo.
Existe um teste, baseado na evidência ontológica contra Deus, que você pode fazer para tentar a existência de Deus. Ore e peça a Deus para lhe proporcionar uma prova clara de sua existência dentro de uma semana. Após essa semana, se você tem uma prova de que Deus existe, me envie as provas. Se não, só existem três razões que eu posso pensar que são plausíveis:
(1) Deus não existe, (2) Deus não quer ou (3) Deus não pode lhe dar essa prova. Por causa da evidência ontológica, alternativa (2) e (3) não são dignos de sua adoração e, assim, igual alternativo (1). Então, se você não obtiver resposta, não há deus.

O SIGNIFICADO DA PALAVRA EXISTÊNCIA

O que se entende pela existência? A própria definição de existência é que uma coisa é dizer que existe, se relaciona de alguma forma para alguma outra coisa. Isto é, as coisas existem em relação uns aos outros. Para nós, isso significa que algo que faz parte do nosso sistema. Mas se não há nada que não seja Deus, então, ou Deus não se pode dizer que existe razão para o que acabamos de explicar, ou Deus é o mundo conhecido, caso em que, por definição, Deus não é um deus.

ALGUMAS COISAS IMPOSSÍVEIS DE SE FAZER

Há coisas que são impossíveis de fazer. Por exemplo, ninguém pode cobrir uma superfície bidimensional, com círculos em duas dimensões, sem as sobrepor. É impossível acrescentar os números dois e dois e obter 666. Você não pode voltar no tempo (sem passar por uma barreira infinita entropia). O número de coisas que são impossíveis de fazer é quase infinita.. Se Deus fosse todo-poderoso ele seria capaz de fazê-las, mas é impossível fazê-lo.
Algumas pessoas dizem que ele só pode fazer coisas que são lógicamente possível fazer, mas o que é. É logicamente possível caminhar sobre a água. É logicamente possível ressuscitar dentre os mortos. É logicamente possível estar acima do tempo, espaço e todas as outras dimensões - e ainda existe. Eu diria que tudo o que viola as leis da física são logicamente impossível e, assim, a onipotência é logicamente impossível. Além disso, se a onipotência é uma qualidade relativa não há nenhuma maneira deafirmar a onipotência da onipotência não.  Para a onipotência ser uma expressão válida, deve ser absoluta, mas não temos critérios objetivos para medir a onipotência de modo que a palavra em si é inútil.

ONIPOTÊNCIA É IMPOSSÍVEL DEVIDO AOS PARADOXOS

Outra maneira de refutar o Deus Todo-Poderoso é que a onipotência leva a paradoxos. Deus pode fazer um rock que é muito pesado para ele carregar? Deus pode construir um muro que nem mesmo ele pode demolir?
Além disso, se Deus sabe tudo, ele sabe o que vai fazer no futuro "" (em qualquer dimensão, não é necessário a dimensão do tempo). Ele deve ter sabido que desde o início de sua própria existência. Assim, as ações de Deus são predestinados Deus está ligada pela fé, ele não tem livre arbítrio. Se Deus não tem livre-arbítrio, Deus não é onipotente Outra maneira de colocar é que para ser capaz de fazer planos e decisões é preciso agir sobre o tempo. Se Deus está acima do tempo que ele não pode fazer isso e não tem livre arbítrio. Com efeito, se destaca a Deus acima de todas as dimensões deus é adimensional - uma singularidade, nada, vazio!
Além disso não pode existir o livre-arbítrio a todos se Deus é Todo-Poderoso. Se você tivesse um livre-arbítrio, Deus não saberia o que faria amanhã e não seria onipotente.

O CRIADOR VAZIO

Se tudo deve ter sido criado, então Deus deve ter sido criado a si. Se Deus não é criado, tudo não deve ter um criador, então por que a vida ou cosmos tem um?
Além deste argumento. Se tudo tem uma origem e um deus é que a fonte, então Deus deve ter existido sem ele antes que ele criou. Então, se o tempo e espaço criado por Deus, ele deve viver fora do tempo e do espaço. Assim, ele é inexistente Se toda a vida deve vir de alguma coisa e que é Deus, Deus não é vida e, portanto, inexistente. Se moral deve vir de Deus, Deus não tem moral. Se a lógica vem de Deus, Deus é ilógica. Se a natureza vem de Deus, Deus não é natural. Se a existência vem de Deus, Deus não existe. Se Deus é a causa de tudo, Deus é nulo.

NÓS NUNCA DEVERÍAMOS ORAR A UM DEUS

Esta não é uma evidência contra Deus, mas descreve a falta de sentido em orar a um deus que está acima do tempo.
Se Deus está acima do tempo e do espaço criado, ele não pode ser o primeiro elo de uma cadeia de eventos dependentes do tempo. Ao contrário, ele iria afetar todos os passos em todas as cadeias, e nós só ver Deus nas leis da física (Davies, 1983, capítulo 4). Esse deus é uma entidade desnecessária para descrever o mundo e deve ser removido com a Navalha de Occam
Se alguém rezava a Deus e Deus quisesse ouvir, as leis mudariam para alcançar o resultado desejado. Assim, o mundo seria diferente e a oração nunca teria sido dita. Além de Deus já teria sido (em uma "acima do tempo" senso de visão) sabe que você orar, e já mudou o mundo. Orações seriam totalmente sem sentido. Gostaríamos de já vivermos no melhor mundo possível, e qualquer oração seria duvidar da sabedoria de Deus.
Pior ainda: para cada oração, digo, Deus não agiu, ou então a oração tinha sido desfeita. Isto significa que quanto mais as pessoas têm orado, mais coisas ruins no mundo persistem. Portanto, quanto mais você reza, mais o mal persisti. Uma maneira muito melhor de mudar o mundo é fazê-lo sozinho. Então você sabe que foi você quem fez o mundo melhor. O efeito das orações não são científicos reais, enquanto o efeito das ações são. Em vez de orar, você deve trabalhar em conjunto para melhorar a sua situação. Este é o Humanismo e está em causa.
Tenho experiência pessoal de acreditar no que quiser acreditar. Quando eu era criança eu acreditava em um monte de coisas malucas. Eu pensei que meus bichinhos de pelúcia foram inteligentes. Eu acreditei em Papai Noel. Eu pensava que havia monstros debaixo da minha cama à noite. Eu até acreditava em Deus depois que eu ouvi alguns dos contos do velho testamento. Depois fiquei mais velho e percebi que essas coisas não eram verdadeiras. Quando olho para trás eu não entendo como eu poderia acreditar nelas, deve ter sido o que eu queria fazê-lo (Exceto para os monstros, que tinha a ver com medo do escuro)
Quando muitas pessoas religiosas são confrontadas com a crítica da religião se convertem ao ateísmo ou agnosticismo. Exemplos de pessoas que se tornaram essenciais para os dogmas do cristianismo são Charles Darwin (Darwin, 1958), Dan Barker  , Ernest Renan e muitos ex-católicos modernistas ", no século 19, como Alfred Loisy e Fogazzaro Antonio (Baigenth, Leigh, 1991). O modernismo Católica evoluiu no século 19 e foi proibido em 1907 pelo Vaticano (Baigenth, Leigh, 1991). Essas pessoas são para mim provas claras de que uma pessoa iluminada que depois de considerar os fatos, rejeitam o Cristianismo e outras religiões que contêm divindades.
Nota: Estou falando de pessoas aqui, que estavam tentando provar a existência de deus e se viraram ateus. Eles não queriam fazer isso, mas tiveram depois de ler um monte de livros e fazer um monte de pensamentos sobre o assunto.

Epílogo

Tentei definir o deus único que pode ser filosoficamente justificado e mostrar alguns exemplos por que esse deus não pode existir. Após a leitura deste documento poderá objetar e dizer que Deus está além da compreensão humana e não pode ser definida em termos científicos e é um mistério da fé.
Se Deus é tão misterioso, como podemos saber alguma coisa sobre ele?
Através da Bíblia. Como sabemos que a Bíblia e não o Alcorão ou os livros Vedas, por exemplo, são as palavras de Deus? (Ou a Bíblia, se você não acredita em qualquer um dos outros dois livros).
Considerando as crueldades que foram feitas em nome de Deus, como nós sabemos que nem todas as religiões são feitas por Satanás? Como se explica , como em Mateus:10:34, 35., existe algo mais idiota do que isso?
“Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.
Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora  e sua sogra”.  Ah, existe  sim em Lucas 20:27. Quanta bondade, quanto amor!

DEUS EXISTE , SIM!
Não, não é isso; mas afinal, porque razões, os ateus, céticos, racionalistas, humanistas seculares, escrevem tanto sobre aquilo que eles dizem não acreditar como objetos existentes? Respondo sem hesitar: escrevemos justamente porque eles existem.
Como um ateu vai escrever isso? Como um cético afirma de forma categórica que deus existe? Porque ele existe, simples assim. O problema que se apresenta é: que tipo de existência é essa? Se ao ler a frase “Deus existe”, veio à você a idéia da existência concreta e real – o que é muito provável – eu poderia ser caracterizado como um contraditório, mas não estou em contradição e explico: quando afirmo a existência das divindades me refiro a uma existência metafísica, uma existência que só é tida como real no sentido de conceito. Em letras miúdas, os deuses existem, mas apenas como ideias; SOMENTE COMO IDEIAS. Se não existissem, não teríamos tantos livros que tratam desse tema, não teríamos religiões tão gigantescas e poderosas, com um poder de manipulação massificada tão intenso. É, amigos, os “deuses existem” e, infelizmente, a maioria assustadoramente esmagadora das pessoas acredita que essa “existência” é concreta, material, que existe sim um ser que tem plenos poderes e que pode interferir na nossa existência como bem lhe aprouver.
E é disso que os ateus, céticos e irreligiosos, têm uma espécie de receio. Receio porque essa ideia chamada deus é uma idéia perniciosa, cruel, repressora; uma ideia que deve ser combatida, não de forma radical, pois ela não será exterminada. O “combate” é um combate de esclarecimento, por isso, mas não só por isso, que muitos céticos e livres pensadores, escrevem sobre esse tema. A maior preocupação de boa parte dos ateus é como esse ideal-deus pode fazer com que a humanidade caminhe de forma canhestra, dependente de algo que não passa meramente de uma ideia. Não podemos depender de um conceito de forma tão visceral como se tem feito ultimamente (e esse “ultimamente” abraça desde a criação da mitologia como uma maneira válida de explicar os acontecimentos do mundo até essa religiosidade hipócrita moderna) sem contar com o relevante detalhe: que é o da certeza da verdade reveladora, que esse ideal-deus imbui nas pessoas, fazendo-as crer que são portadores de uma verdade que deve ser aceita por todos, querendo eles ou não. Isso é perigoso, e isso deve ser combatido.
Minha tese é que as pessoas que afirmam crer em Deus, realmente, não devem fazê-lo. Eles só querem crer em Deus. Eles de alguma forma sentem que suas vidas não têm sentido sem Deus, então eles optam por fechar os olhos à evidência da inexistência de Deus.
Para um cristão que aceita a "verdade revelada" de acordo com sua moral, e então temos que ser fortes na fé para manter a sua opinião. Você decide, a priori, em que acreditar e tentar convencer a si mesmo e outras que ela é verdadeira.
Se não houver nenhuma maneira de saber isso, mas a confiar nas pessoas que alegam terem tido "experiências divinas" não há forma de distinguir o verdadeiro do falso profeta. Um tem que desistir de sua mente livre e seguir a autoridade de um ditador.
"Eu gostaria de propor à consideração favorável do leitor uma doutrina que pode, receio, parecer descontroladamente paradoxal e subversiva a doutrina em questão é a seguinte:.
“Que é indesejável a acreditar que uma proposição quando não há base alguma para supor que seja verdade. "
Bertrand Russell
"Não devemos acreditar em nada menos que haja motivos razoáveis para acreditar que é verdade" –
Ingemar Hedenius
Traduzido do Inglês para o Português e complementado por Oiced Mocam.

Referências

  1. Michael Baigent, Richard Leigh, The Dead Sea Scrolls Deception (1991) Michael Baigent, Richard Leigh, The Dead Sea Scrolls Deception (1991)
  2. Dan Barker, Perdendo a Fé na Fé - A partir de pregador para ateus (19?)
  3. Charles Darwin, A Autobiografia de Charles Darwin 1809-1882. Editado com o apêndice e notas de sua neta Nora Barlow. A única edição completa. (1958)
  4. Paul Davies, Deus e a nova física (1983)

Leitura adicional

  1. A web Ateísmo
  2. Contradições da Bíblia # 1
  3. Joseph C. Sommer, Algumas razões pelas quais os Humanistas rejeitam a Bíblia
  4. Deus existe? um debate entre John P. Koster e Frank Zindler
  5. A Internet infiéis
  6. Julian Huxley, a religião sem revelação (New York, NY: Mentor Books, l957)
  7. Michael Martin, Ateísmo: Uma justificação filosófica (Temple University Press, 1984)
  8. John Stuart Mill, A Religião da Humanidade (1874)
  9. George Smith, O  processo contra Deus

Páginas similares:

  1. Por que o Deus cristão é impossível, por Chad Docterman. A rejeição soberba do Deus cristão - uma leitura obrigatória!
  2. Brett  Lemoine,  Informações  do Atéismo
  3. Por Rich Daniel, acredita que,  Não há deuses.
  4. Jesus Nunca Existiu – Uma idéia maluca?  Leia em:
  5. http://www.jesusneverexisted.com/scholars-portuguese.html
  6. http://sociedaderacionalista.org/2011/12/08/nao-pense-no-amanha-ele-nao-existe/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=nao-pense-no-amanha-ele-nao-existe
  7. http://www.elivieira.com/2011/01/tres-perguntas-para-descrer-em-deus.html

Nenhum comentário: