Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

12 de maio de 2012

II - POR QUE OICED NÃO ACREDITA em Livros ditos sagrados


POR QUE OICED  NÃO ACREDITA em LIVROS ditos  SAGRADOS

Você acredita que a Bíblia é a palavra de Deus, que Jesus concebido sem um pai biológico é o filho de Deus e que apenas aqueles que têm fé em Jesus alcançarão a "salvação" e um "paraíso imaginário", após a morte.
Como cristão, Você acredita nessas afirmações não porque elas o fazem sentir-se bem, mas porque crê que são verdadeiras. Antes de apontar alguns problemas que essas crenças apresentam, eu gostaria de reconhecer que há muitos pontos em que concordo com você. 
Primeiro, durante toda a minha vida eu acreditava nisso tudo, igualzinho a você, por tradição e ignorância. Dessa maneira respeito a sua crença.  
Segundo: Não há dúvida de que as pessoas podem passar por experiências profundamente transformadoras. E não há dúvida de que elas podem interpretar erradamente  essas experiências, e iludir-se mais ainda acerca da natureza da natureza da realidade. 
erceiro: Nós concordamos, por exemplo, que se um de nós está certo, o outro está errado.

Ou a Bíblia é a palavra de Deus, ou não é. Ou Jesus oferece à humanidade o único verdadeiro caminho para a salvação (João 14,6), ou não oferece. Concordamos que ser um bom cristão é acreditar que todas as outras religiões estão erradas, e profundamente erradas. Se o cristianismo está correto, e eu persistir na minha descrença, devo esperar que um dia irei sofrer os tormentos do inferno. Pior ainda, já convenci outras pessoas, muitas delas próximas a mim, a rejeitar a ideia da existência de Deus(es). Elas também irão padecer no "fogo eterno" (Mateus 25,41).  
Se a doutrina básica do cristianismo está correta, então desperdicei a minha vida da pior maneira que se possa conceber. Eu reconheço isso, tardiamente, sem restrição nenhuma. O fato de que a minha rejeição do cristianismo, pública e contínua, não me preocupa nem um pouco já demonstra o quanto considero inadequadas as suas razões para ser cristão.

É claro que há cristãos que não concordam nem comigo, nem com você. Há cristãos que vêem outras religiões como caminho igualmente válidos para a "salvação". Há cristãos que não tem medo do inferno e que não acreditam na ressurreição física de Jesus. Os que se definem como "religiosos liberais" ou "religiosos moderados".

Ou a Bíblia é apenas um livro comum escrito por mortais, ou não é. Ou Cristo era divino, ou não era. Se a Bíblia é um livro comum e Cristo era um homem comum, então a doutrina básica do cristianismo é falsa. Se a Bíblia é um livro comum, e Cristo eram homem comum (assim como Esculápio=Asclépio...), então a história da teologia cristã é a história de homens estudiosos dissecando uma ilusão coletiva. E se os princípios básicos do cristianismo são verdadeiros, então há surpresas extremamente desagradáveis, à espera dos descrentes como eu. Isso você compreende.
Assim, SEJAMOS HONESTOS: com o decorrer do tempo, um dos dois lados vai realmente vencer essa discussão, e o outro lado realmente será derrotado.

PENSE NISTO:
Cada muçulmano devoto tem as mesmas razões para ser muçulmano que você tem para ser cristão. E, no entanto, você não acha essas razões convincentes.
O Corão declara repetidas vezes ser a palavra perfeita de do criador do universo. Os muçulmanos acreditam  nisso tão piamente quanto você acredita na definição da Bíblia sobre ela própria.
Há uma vasta literatura  relatando a vida de Maomé (esse sim, realmente existiu), que do ponto de vista do islã, prova que ele foi o mais recente dos profetas de Deus. Maomé também garantiu a seus seguidores que Jesus não era divino (Corão 5,71-75; 19, 30-38), e que qualquer pessoa que pense diferente passará a eternidade no inferno. Os muçulmanos estão certos de que a opinião de Maomé a respeito desse assunto, assim como de todos os outros,  é infalível.

E por que você não perde o sono pensando se deve ou não se converter aos islamismo?
Você é capaz de provar que Alá não é o único verdadeiro Deus?
Você é capaz de provar que o arcanjo Gabriel não visitou Maomé em sua caverna?
Mas você não precisa provar nada disso para rejeitar as crenças muçulmanas, considerando-as absurdas. Recai sobre os muçulmanos o ônus da prova de que suas crenças acerca de Deus e de Maomé são válidas. E até agora eles não fizeram isso. Eles não podem fazer isso.  As afirmações feitas por eles acerca da realidade simplesmente são impossíveis de ser comprovadas. E isso é perfeitamente claro e óbvio para qualquer um que não tenha sido anestesiado com o dogma do Islã.

A verdade é que Você agora sabe exatamente como é ser ateu, em relação às crenças dos muçulmanos. Pois não é óbvio que os muçulmanos estão enganando a si mesmos? 
Não é óbvio que qualquer um que considere o Corão a palavra perfeita do criador do universo não leu o livro de maneira crítica?
Não é óbvio que a doutrina do islã representa uma barreira praticamente perfeita para a investigação honesta? Sim, tudo isso é óbvio.

Compreenda, então, que a maneira como você vê o islamismo é exatamente a mesma como  os muçulmanos devotos vêem o cristianismo.
E É DESSA MANEIRA QUE VEJO TODAS AS RELIGIÕES!

SABEDORIA DA BÍBLIA:
Você, provavelmente pensa que a Inquisição foi uma perversão do "verdadeiro" espírito do cristianismo. Talvez tenha sido. O problema, porém, é que os ensinamentos da Bíblia são tão confusos e contraditórios que foi possível para os cristãos queimar e torturar alegremente os heréticos nas fogueiras, durante cinco longos séculos. Veja o Holocausto: o anti-semitismo que construiu os campos de morte dos nazistas foi herança direta do cristianismo medieval. Onde tanto a Igreja católica como a protestante têm um passado vergonhoso de cumplicidade com o genocídio nazista.
Naturalmente, você é livre para interpretar a Bíblia de outra maneira. Mas não é espantoso que você tenha conseguido discernir os verdadeiros ensinamentos do cristianismo, enquanto os mais influentes pensadores na história da religião cristã falharam nesse ponto?

“Feliz de quem agarrar e esmagar teus bebês (babilônios) contra a rocha!
Esmagar os miolos de bebês babilônios para se vingar do que seus pais soldados fizeram? Isso está na Bíblia?

Consulte a bíblia e descobrirá o que o criador do universo espera. Ordens para massacre de nações.  Que nós tenhamos escravos. Que todo homem tem a liberdade de vender sua filha como escrava sexual. Devemos matar os nossos filhos, se eles tiverem a insolência e pouca vergonha de nos responder. Devemos apedrejar pessoas até a morte por heresia, adultério, homossexualidade, por trabalhar no sábado, adorar imagens, praticar feitiçaria e mais uma ampla variedade de crimes imaginários.

Só para lembrar que: numerosos mestres, já disseram coisas profundas sobre o amor, a caridade e o perdão, também atribuídas a Jesus. Séculos antes de Jesus: Zoroastro, Buda, Confúcio, Epícteto (que já defendia o fim da escravidão)...e incontáveis escrituras discutem a importância do amor que transcende o próprio eu de maneira mais articulada do que a Bíblia. E, sem serem maculadas pelas obscenas celebrações de violência que encontramos em abundância tanto no Velho como no Novo Testamento (e no Alcorão).
Para alguém que está fora da fé cristã, é espantoso como um livro pode ter um conteúdo tão trivial e, mesmo assim, ser considerado produto de onisciência.

Se você acha que o cristianismo é a expressão mais direta e pura do amor e compaixão (algo q os padres pedófilos não aprenderam) que o mundo já viu, é porque não conhece bem as outras religiões. Mahavira, o patriarca jainista, superou a moralidade da Bíblia, com uma única frase:

"Não ferir, abusar, oprimir, escravizar, insultar, atormentar, torturar ou matar nenhuma criatura ou ser vivo".
Imagine como o nosso mundo poderia ser diferente se a Bíblia contivesse essa frase como preceito central. Como Vocês podem ser tão maus, em querer argumentar que a Bíblia oferece a expressão mais clara de moralidade que o mundo viu?

E ainda por cima querendo que acreditemos, que  Moisés existiu, que Jesus existiu, nasceu de uma virgem, fez milagres, foi crucificado, ressuscitou ou que ele voltará para a terra como um super-herói.
Profecias apocalípticas, pecado, pecado, pecado, promessas de salvação, recompensas ou punições celestiais,  vida eterna após a morte, paraíso, inferno, reino dos céus..., uma mercadoria vendida nesse disputado mercado da fé, que nunca será entregue, mas muito rentável! (Embora, Jô e Eclesiastes afirmem explicitamente que não há vida após a morte).

Está na hora de apreendermos a satisfazer nossas necessidades emocionais sem adotar crenças absurdas e ilógicas, confusões mentais e apego acerca de deuses, mitos religiosos,  sem mentir para nós mesmos a respeito da realidade e do sentido da vida.

Assim, SEJAMOS HONESTOS: com o decorrer do tempo, um dos dois lados vai realmente vencer essa discussão, e o outro lado realmente será derrotado.

Leituras recomendadas:

CARTA A UMA NAÇÃO CRISTÃ" de Sam Harris (companhia das Letras);

"deus Não é Grande" de Christopher Hitchens (Ediouro);

“QUEM JESUS FOI? QUEM JESUS NÃO FOI? De Bart D. Erhman (Ediouro).

“O PROBLEMA COM DEUS “

Nenhum comentário: