Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

16 de maio de 2010

Capítulo 31: Homossexualidade e as religiões

A Homossexualidade – À opinião das Igrejas

Os humanos são parte da “natureza” ou não ? Claro que sim, se Ele for o Criador de todas coisas. As religiões tem o direito de legislar a matéria do comportamento sexual ? Mas Deus não nos deu o livre-arbítrio? Pelo que sabemos os homens são iguais em direitos e dignidade e claro isso não suprime a diferença sexual. Não nós fez a sua imagem? Qual o futuro da moralidade no que diz respeito ao sexo? A religião rejeitou uma obra de Deus – o que ele tem entre as pernas? Essa é uma das atividades mais sensíveis da vida e está relacionada à própria força vital. O sexo é o próprio centro da vida e a ação erótica é ocasião da expressão da alegria e da invenção, é uma força agregadora das pessoas. É a sexualidade que faz com que um homem tenha uma história. Se a história sexual de um homem oferece a chave de sua vida, é porque na sexualidade do homem projeta-se sua maneira se ser a respeito do mundo, quer dizer, a respeito do tempo e a respeito dos outros homens.
A razão pela qual o sexo sofre repressão moral, é reprimido e condenado, porque quase todas as religiões tinham que ser contra tudo o que o homem pudesse curtir. Seu interesse é manter o homem miserável, destruindo toda possibilidade dele encontrar algum tipo de paz, de alívio e de alegrar-se. As religiões estão criando mais miséria, mais sofrimento, mais feridas, ódio, e mais raiva e tudo em nome de Deus. A mulher é perigosa segundo muitas religiões. Ela é o caminho para o “pecado” e o inferno, então o inferno deve estar cheio de homens. É até compreensível se considerarmos a época que as escrituras foram escritas e somente por homens “inspirados” por Deus.

Os gays se transformaram em uma verdadeira obsessão para o representante e vigário de Cristo, o papa Bento XVI. Em mais uma de suas tristes e lamentáveis declarações disse:

“Que “salvar” a humanidade do comportamento homossexual ou transexual é tão importante quanto salvar as florestas do desmatamento.”

Nenhum poder consegue se sustentar, se não tiver por representantes meros hipócritas: a Igreja católica, por mais elementos “profanos” que ainda possui, que falam de vigílias, de jejum, de ardentes orações, até mesmo de flagelações; são eles que abalam as pessoas e lhes causam inquietação. É o típico procedimento da religião que quer que o homem seja mau e pecador por natureza, se sinta oprimido e cheio de “pecados”. A intenção não é que o homem se torne mais moral, mas que sinta o mais possível pecador, e depois com forças sobrenaturais esse fardo possa lhe ser tirado. Mais valeria o silêncio do papa, mas o silêncio não faz uma teologia! Se o papa pudesse nós convencer, teria ele necessidade do dogma da infalibilidade papal? E de que adianta este dogma, se não nos convence? Acuso e condeno o papa por praticar o sexismo!

O homossexualismo está presente em todas as sociedades. Calcula-se em 1,5 milhão a população de gays no país, dos 15 aos 49 anos. Desde que o mundo existe sua incidência parece ser parte do “projeto humano”. As religiões e igrejas em maioria ainda consideram antinatural porque dizem, mas não é verdade, que ele não ocorre em outras espécies. A postura é de considerar atos homossexuais como moralmente errados e o “pecado” está em ceder a essas tendências e adotá-las na prática.
Na mesma linha as Igrejas Cristãs repudiam qualquer reconhecimento legal de uniões entre pessoas do mesmo sexo que não seriam fruto de uma verdadeira complementaridade afetiva e sexual, um insulto às leis divinas baseadas nas escrituras sagradas de seus credos e interpretações, como podemos ver também na Bíblia – Carta aos Romanos 1,24-27, no Corão-surata 49, versículo 13 e no Torá-Gênesis 19,1-13 tendo-os identificado como: teoria obscura, loucura, ataque violento contra a família e o matrimônio tradicional, forma de ofuscar ou suplantar a família, ataque diabólico para eliminar famílias, uma transgressão, uma falsa liberdade, entre outras.
Em 2005 o acesso ao sacerdócio na igreja católica passou a ser explicitamente negado a quem tenha tendências homossexuais profundas ou apóie a cultura gay (alegres) mesmo que não a pratique a homossexualidade. No entanto a regra geral não se aplica aos padres já ordenados. Em 2006 a Igreja tomou posição pública no sentido de tentar proibir a realização do WordPride que reúne milhões de “discriminados e excluídos” de todas as crenças e religiões, em Jerusalém, tal como tinha feito em 2000 com o evento em Roma.

O Novo Testamento apresenta São Paulo expressando temor e desprezo pelas mulheres, uma tentação ao pecado. O apóstolo São Paulo defende o celibato, mas diz que é “melhor casar-se que se abrasar”. Talvez isso explique o culto histérico à virgindade e a uma Virgem Maria e também a perturbação mental de muitos crentes que vivem reprimidos.
Nenhuma discussão sobre Jesus e seus ensinamentos insalubres, ficaria completa sem mencionar o seu ponto de vista sobre sexualidade. Jesus tinha algumas autênticas loucas e perniciosas idéias sobre esse assunto.
Ele estava tão contrário ao sexo que pensava que as pessoas deveriam ser enviadas para o inferno por terem um desejo sexual. Ele fez recomendações semelhantes para evitar outros tipos de atividade sexual. Aparentemente, referindo-se a masturbação, ele avisou que "se tua mão direita te ofender, corte-a, e lança-a de ti..." Ver também em Gênesis 38:9-10. “Isso, porém, que fazia, era mau perante o SENHOR, pelo que também o matou.” Para evitar ser enviado para o inferno. Centenas de milhares de espermatozóides são produzidos numa ejaculação humana comum. Então a masturbação é assassinato em massa? E que dizer das poluções noturnas ou do simples ato sexual? Quando o óvulo não fertilizado é expelido a cada mês, alguém morreu? Devemos chorar todos esses abortos espontâneos? É imoral e criminoso? Ele apoiou a castração. Ele disse a seus seguidores que era preciso haver eunucos. A eles seria dado o reino do amor de Deus. Existem pessoas que se mutilam para evitar o desejo sexual e sua atividade.Vejamos as aberrações do Livro Santo sobre a homossexualidade e o que consideram abominável:
Levítico 18:23; “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação.”
Levítico 20:13: “Se também um homem se deitar com outro homem, como se mulher, ambos praticara, cousa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles.” Leia também sobre os “reprováveis sentimentos” em , Romanos: 1: 26-27 e 1:31-32: “Insensatos, pérfidos, sem afeição natural e se misericórdia”

Na Rússia, antes da revolução proibir as religiões, havia uma seita cristã que acreditava que os órgãos sexuais deveriam ser cortados, só então se poderia ser um cristão verdadeiro. A declaração de Jesus foi tomada literalmente. Jesus disse: sejam eunucos de Deus. E esses tolos agarraram isso literalmente. Todo ano eles se reuniam aos milhares e num louco frenesi eles cortavam seus órgãos sexuais. Os homens cortavam seus órgãos genitais, as mulheres cortavam seus seios. E aqueles que foram capazes de faze-lo foram considerados santos; eles eram muito respeitados – eles tinham feito um grande sacrifício. Em Mateus 5:29-30 sobre amputação: “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno.” “E se tua mão direita te escandalizar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros e não vá todo o teu corpo para o inferno.” Agora em qualquer outro lugar eles teriam sido considerados completamente insanos, mas porque nessa sociedade particular isso era respeitado, eles eram santos.


Muçulmanos submetem adúlteras a castigos em praça pública com açoites. E o livro sagrado, ordena o praticante agradecer ao criador todos os dias , por não ter nascido mulher. A prática homossexual é condenada na Índia e crianças nascidas mulheres são rejeitadas. A maioria das religiões discrimina, com exceção de algumas que permitem e aceitam. Os impulsos sexuais são reprimidos. Sexo oral, anal e em diversas posições bem como masturbação, são motivos de culpa e vergonha, com promessas de punição sádica e eterna para os transgressores impuros e corrompidos. Os escritores dos livros sagrados inspirados em outras tradições não podem afirmar que na época não havia uma compreensão sobre a homossexualidade, já que esta prática era pública e notória entre os romanos e antigas civilizações. Mesmo assim fizeram referências condenatórias.
Há diversas tradições antigas, nas quais a homossexualidade não representava nenhum problema espiritual, muito pelo contrário. Por exemplo, entre os assírios, babilônios e hititas, era costume louvar ao criador, com atos sexuais, muitas vezes entre pessoas do mesmo sexo, algo que ainda ocorre nos dias de hoje em tribos da Oceania e África.

A grande questão do século 21, não é a aceitação da tolerância religiosa, mas a aceitação da opção sexual, a diferença sexual. Milhões de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, estão organizados em defesa da sua liberdade, quebrando os tabus e preconceitos, mostrando que existem vivem sem culpa e convivem em harmonia. Com respeito e de maneira pacífica milhões de pessoas vão às ruas, como forma de protesto, em Roma, Jerusalém, Nova York, São Paulo, Rio de Janeiro, em grandes cidades e médias cidades do mundo com suas famosas animadas paradas gays, acompanhados de milhares de simpatizantes. Os grupos de GLS, não necessitam do clero e suas doutrinas religiosas pré-históricas atrasadas e ridículas para dizerem a eles que são “pecadores” e que não são parte do “projeto” humano e não foram criados à sua semelhança.
Para a maioria, o homossexualismo é “antinatural”, mesmo sabendo que diversos pássaros, mamíferos e primatas realizam jogos homossexuais. Isso se observa em mais de 1.500 espécies. Cerca de 500 documentos a esse respeito estão em exposição no Museu de História Natural de Oslo, na Noruega. Dez por cento das espécies de peixes trocam de sexo uma vez na vida. Passam de macho a fêmea ou vice-versa. Em um processo que leva algumas semanas para se completar (algumas espécies levam até cem dias para completar a inversão). A chave para entender a inversão sexual é a proporção entre os sexos em determinado grupo. A inversão sexual é a proporção entre equilibrar essa proporção rapidamente. Se, em um cardume, houver uma queda acentuada do número de machos, por exemplo, e a espécie não for capaz de trocar de sexo, o cardume perderá um bom tempo mudando de lugar, em busca de outros machos. Nas espécies transexuais, parte do cardume (peixe papagaio, peixe palhaço, o peixe pargo rosa) inverte o sexo, e o problema se resolve. Até peixes grandes como os meros , que chegam a 100 quilos fazem mudança de sexo.
O progresso de inversão acontece ainda por uma série de fatores relacionados com o meio ambiente e com a bagagem genética da espécie. O gatilho da inversão, é acionado sempre que o peixe passa por uma série de encontros sexuais mal-sucedidos. Por exemplo, um macho encontra outro animal da mesma espécie e começa o ritual sexual. Só que o outro peixe também é macho. Sem resposta, o primeiro macho vai embora. Isso acontece porque muitas espécies não tem uma diferenciação visível entre os dois sexos. Quando em um cardume ou um grupo, há um desequilíbrio na proporção entre os dois sexos, com falta de machos ou fêmeas, os peixes começam a se sentir “sexualmente frustrados”. Esses fenômenos ocorrem muito em lugares de águas quentes e rasas, como o Mar Vermelho, o Oceano Índico ou certas regiões do Pacífico, em certos pontos do litoral do Rio de Janeiro e do Nordeste.

Eles os moralistas teimam em serem “honestos” com o gigantesco erro que cometem com gays e lésbicas em nome da religião. Aos “escolhidos do Senhor”, cheios do Espírito Santo de Deus, e conforme a Bíblia, Corão (surata 49,13) e Torá (Ge 19,1-13), todas as formas de lascívia são condenadas (onde o “maligno” se manifesta). Não resta dúvida também, de que, a masturbação (Gn 38:9-10), que envolve todo um ato de fantasias eróticas e instrumentos próprios, é “pecado” !
Para a religião Islâmica não existem homossexuais no Irã. Existe um ódio e uma grande perseguição homicida aos homossexuais. Em Teerã eles são obrigados a viver na mais absoluta clandestinidade e a homossexualidade é considerado crime. Estima-se que 4 mil homossexuais foram executados desde que os aiatolás tomaram o poder. A Organização Iraniana mantém um site (irgo.net), uma revista e um programa de rádio, fora do país. Os “crimes” para:
Lesbianismo: 100 chibatas em cada parceira e morte na 3ª reincidência;
Nuazinhas: duas mulheres nuas na mesma cama, 99 chibatas e 100 na reincidência;
Sodomia: ato entre dois homens, morte para os dois parceiros, se forem maiores, se forem menores de idade recebem 74 chibatas;
Peladões: dois homens flagrados na cama nus, 99 chibatadas;
Beijo Gay: até 60 chibatadas;
Pelados na cama: 99 chibatas;
Nas coxas: quando um homem se esfrega no outro nu, 100 chibatadas cada parceiro, o ativo, se não for muçulmano, é condenado à pena capital e a 3ª reincidência é condenado à morte pela forca.

Até um simples mortal como nos, pode alegar saber mais sobre sexualidade e preconceito, e ver a hipocrisia das religiões, que prometem sexo no céu após a morte. A divindade dá o desejo sexual e depois a condena proíbem e negam a eles o direito de fazer amor, “casar” e adotar filhos em nossos dias. Dizem as religiões: o amor de Deus, o ser supremo é incondicional e nenhuma característica de uma de suas criaturas, representará motivo suficiente para que ele deixe de amá-la. São todos hipócritas. As religiões falam em amor e destroem a possibilidade de amar. Para mim, o grande mandamento é amar uns aos outros. Certamente algumas religiões moralistas que associam sexo com pecado, envolvidas em uma longa história de derramamento de sangue e ódio religioso estão com seus prazos de validades vencidas.

O Deus grego Hermes fazia o papel de correio do Monte Olimpo e, Íris desempenhava a função de mensageira divina de Hera (deusa Juno), a mulher do Deus Zeus, divindade suprema dos gregos. Como agia de leva-e-traz entre o céu e os homens, vestida com um xale de sete cores e envolta em facho de luz, foi a inspiradora do nome do arco-íris (arco por causa do formato do fenômeno). Várias lendas se criaram sobre o arco-íris: uma a de que na extremidade terrena desse raio de luz estava enterrado um pote de ouro. A Bíblia confere ao arco-íris um sentido divino. Foi entendido como um milagre o primeiro arco-íris visto no mundo, porque foi o primeiro, e por isso estranho. Serviu como um sinal de Deus, colocado no céu, para garantir a seu povo que não haveria mais destruição universal do mundo pelas águas. As Leis de Descartes o explicam e Isaac Newton explicou e comprovou como esse fenômeno cromático acontece através das gotas de chuva agem como um prisma ao decompor a luz solar.
Outra serviu de mote para os gays: o homem que passasse sob o arco-íris viraria mulher e a mulher também trocaria de sexo. Por isso, nada estranho que seja ele hoje o símbolo dos homossexuais, presente em todas as casas do bairro Castro, em São Francisco, nos Estados Unidos.

Os Neopentecostais que fazem uma literatura literal da Bíblia, acreditam que a homossexualidade está ligada a uma espécie de “possessão demoníaca”. Para eles, os indivíduos que se sentem atraídos por outros do mesmo sexo podem ser “curados” e “reorientados” e em alguns casos com rigor. Contudo existem igrejas que apóiam a causa homossexual, assim como a Igreja Evangélica de Confissão Luterana, onde muitos pastores orientam as famílias a aceitarem as criaturas da maneira como foram feitas e a acolherem gays e lésbicas como são, sem exigir o celibato, pois reprimir a sexualidade seria pior.

No Judaísmo, segundo a Torá ( A lei), dentro dos padrões instituídos dentro do Vaicrá , o Livro dos levíticos (18:22). Não é permitido ao judeu (ou Judia) torcer a natureza criada, dando um comportamento diferente do que se é concebido por Deus. Mesmo assim os judeus não são contra o homossexualismo, contudo quem é homossexual não aceita o Judaísmo e, portanto não está disposto a aceitar a lei de Deus. (Isso significa que está disposto a abrir mão de seu chamado a observar as leis para ser homossexual.)

Para os Espíritas a homossexualidade está ligada a vidas passadas e a doutrina acredita que, se a pessoa nesta vida nasceu com uma “inversão sexual”, é porque deve ter cometido algum tipo de violência-abuso, pedofilia, estupro, em vidas passadas. Portanto deve reparar seu erro, renunciando às práticas sexuais aqui e agora. Assim na próxima vida, nascerá livre desse “sofrimento”.

Os Budistas de tradições orientais, o único “carma” negativo é o abuso hetero ou homossexual e encaram o fenômeno social de outra forma. Para eles, uma vez que a energia é colocada na concepção, não há crime nem pecado em nascer homossexual. A homossexualidade seria apenas uma característica e não fruto de um mero desejo. Para os leigos, independente da opção e orientação sexual, o parceiro não pode ser considerado um mero objeto de prazer e os monges tem a regra do celibato, não porque sexo seja pecaminoso, mas porque o apego é uma obstrução para obtenção da iluminação. O monge budista precisa caminhar olhando, apenas até um metro e meio adiante. Não pode olhar mais que isso, não pode manter a cabeça ereta, porque poderia ver uma linda mulher – esse é o problema. Olhando até um metro e meio, no máximo pode ver os pés de alguma mulher, mas jamais seu rosto. Mas se o amor entre o homem e a mulher é algo errado, por que deveria a natureza dar esse desejo? Qualquer pessoa inteligente perguntará isso. Sem sexo nem mesmo Buda teria nascido. Ainda bem que o pai de Buda não era monge budista, porque senão teríamos deixado de conhecer todas essas grandes figuras. O Budismo não considera a mulher como um ser inferior ao homem. As mulheres tem as mesmas oportunidades educacionais, os mesmos deveres e direitos e tem o direito a liberdade religiosa. Porém, no Tibete, uma mulher nunca poderá ser uma Lama, uma reencarnação do Buda.

Para os adeptos do Movimento Hare Krishna, a homossexualidade está ligada ao “carma”, o destino traçado pelas boas e más ações praticadas em vida. É tida como antinatural, mas a prática da vida espiritual, vai muito além da sexualidade e não deve se tornar obstáculo à fé e o mais importante é a devoção e os sentimentos puros e sinceros. Porém, para contrariar a natureza, recomendam o celibato e afirmam que a realidade homossexual deve ser superada para não acumular “carma” negativo.

O Candomblé e no culto Afro-Brasileiro encaram o assunto de maneira aberta. Não existe a condição de gênero. Não há palavras masculinas e femininas. É por isso que é possível encontrar Orixás com comportamentos ora de homem, ora de mulher (mas não são homossexuais), simplesmente não há preconceito e diferenciação. A sexualidade dos crentes é vista como fonte de alegria e como forma de realização pessoal e sem objeções.

Todas as religiões admitem a existência formas sutis de repressão, seja por questões genéticas ou sócio-culturais. Dizem que o casamento gay é pecado. Pecado é negar a pessoas normais a união civil , direito de herança, direito de dividir um plano de saúde e o imposto de renda como qualquer pessoa.

“Por que haverá alguém de envergonhar-se de seu corpo quando este é perfeitamente sadio e capaz de desempenhar as suas funções?

Não seria verdade, porventura, que uns poucos neuróticos tivessem primeiro concebido a doutrina do pecado original para justificar as próprias neuroses e que todas as gerações subseqüentes de homens normais tivessem seguido pensadores anormais como estúpidos carneiros ?
Não era a nossa moralidade uma fraude?
Não era a felicidade o desígnio da vida?
A religião, longe de ser uma aceitação é uma negação da vida.”

Nietzsche


Os que levam os ensinamentos de Jesus e Maomé ao pé do Antigo Testamento estão sendo pressionados a tomar uma posição mais clara sobre as suas posturas rígidas adotadas até agora, para explicarem o inexplicável. Para nós é estranho o Livro condenar a homossexualidade, o mesmo que incentiva a escravidão (Lv 22:11; 21:27-20-21 e em Ex, Ef, Tm, Tt, I Pe) e o canibalismo (Lv 26:29; Dt 28:57; II Rs 6:28-29; Is 9:19-20; 49:26; Jr 19:9; Lm 4:10; Ez 5:10; Mq 3:2-3; Zc 11:9) e não diz nada sobre pedofilia.. Já existem igrejas que celebram os enlaces, a união de pessoas do mesmo sexo e que são discriminadas em outras religiões. O mais rico Estado dos EUA, a Califórnia, na Costa Oeste, aprovou a legislação que permite o casamento gay e o matrimônio, para residentes no Estado já está vigorando. Antes os moradores do Estado de Massachussets tinham direitos. Estão previstos 100 mil casamentos, entre eles a união em casamento de duas lésbicas de 83 anos e 87 anos que se apaixonaram há mais de 50 anos. E a tendência é de conquistar direitos cada vez maiores e em menos de 50 anos vamos olhar para trás e achar ridículo a proibição de casamentos e a união de homossexuais. E o Estado em que nasci o Rio Grande do Sul, é um dos estados brasileiros com mais avanços no tema. Buenos Aires foi a primeira cidade da América Latina a autorizar uniões civis entre gays, em maio de 2003. Portugal: desde 2001, a legislação reconhece uniões de fato entre pessoas que vivem como casais durante mais de dois anos, independentemente do sexo. Alemanha: desde 2001, um contrato de vida comum outorga aos casais gays direitos similares aos do matrimônio heterossexual. Holanda: Primeiro país a autorizar o casamento gay em dezembro de 2002. Bélgica: Os matrimônios foram legalizados em 2003. Para que uma união seja válida, basta que um dos conjugues seja belga ou resida na Bélgica. Grâ-Bretanha: Casais homossexuais podem formar uma “associação civil” desde 2004. Casamento gay também é reconhecido nos países: Canadá, Noruega, África do Sul, Espanha. A união civil entre gays é reconhecida na: Dinamarca, Finlândia, Islândia, Suécia, Suíça, França, Andorra, República Checa, Hungria, Luxemburgo, Nova Zelândia, Eslovênia e Uruguai.
O músico britânico Elton John gerou polêmica, com a publicação de uma entrevista na qual afirma que Jesus Cristo era homossexual."Acho que Jesus era um gay compassivo, superinteligente, que entendia os problemas humanos", afirmou Sir Elton à revista de celebridades americana Parade, que publicou a entrevista em seu site."Na cruz, ele perdoou as pessoas que o crucificaram. Jesus queria que nós amássemos e perdoássemos. Eu não sei o que torna as pessoas tão cruéis. Tente ser uma mulher homossexual no Oriente Médio - você está morto", afirmou o popstar, um homossexual assumido. Em uma outra ocasião afirmou: 'do meu ponto de vista, eu proibiria completamente a religião".
Mas afinal . Por que Gays são Gays? Na opinião de Qazi Rahman, cientista da área de Psicobiologia da Universidade East London “Pesquisas sugerem que ações hormonais ocorridas durante o desenvolvimento do feto podem provocar alterações em regiões do cérebro relacionadas à identidade sexual.”
O futuro terá uma visão de sexo totalmente diferente. Será mais brincadeira, mais amizade, mais alegria, mais que um caso sério e proibido como foi no passado. As religiões destruíram tanto as pessoas pela condenação, dominação sem nenhuma razão justificável. Sexualidade é um fenômeno simples, biológico. Não deveria ser-lhe dada tanta importância. No futuro a moralidade estará livre para ter alguns outros interesses que são muito mais importantes. Os irmãos em Cristo ou Maomé poderão se ocupar com assuntos mais importantes que possam lhes aproximar de Deus e Alah como a: Verdade, sinceridade, compaixão, honestidade, totalidade, meditação. Porque essas são as coisas que poderão transformar a vida dos crentes e não a discriminação sexual.

O desejo sexual é comum a todos os homens, não pode ser castrado e dever ser livre e sem “pecado”. Parem portanto de tentar enganar nossos irmãos, intimidar e enganar a si mesmos. Se eles podem dizer que os gays, não são filhos do Criador, nem por isso eles dizem que os Profetas eram homossexuais ou eunucos ! Aliás, recebi hoje um email com abaixo assinado vindo da Espanha, solicitando a minha adesão contra o lançamento esse ano de um filme onde retratam Jesus, como personagem homossexual. O Papa Paulo VI era homossexual e que em Milão, o cardeal era o assunto da cidade e que quando foi para o Vaticano, levou seu namorado um jovem bonito, para ser seu secretário.

Conforme Osho, as piores profissões do mundo são apenas duas: uma é a das prostitutas e a outra é a dos sacerdotes. Certamente a profissão de sacerdote é muito pior, porque as prostitutas apenas vendem seus corpos, elas não vendem suas almas. E elas não interferem com a liberdade de ninguém, elas não destroem sua alegria – pelo contrário, elas de alguma maneira a aumentam, a intensificam, a inflamam. É o sacerdote que vende deuses e que escraviza o homem, que interfere na vida de todo mundo, na sua liberdade, na sua individualidade. Ele não pode tolerar ver alguém feliz, porque a pessoa que está feliz não vai ser seu cliente. Os negócios dele dependem da miséria. Quanto mais miserável você for , mais você buscará os conselhos do padre, mais você adorará estátuas, mais você olhará além da vida buscando por alguma consolação. A vida é cheia de sofrimentos e você tem que acreditar numa outra vida além dessa. Dirá que você está cometendo um pecado – isso é contra Deus e contra todas as sagradas escrituras. As prostitutas são necessárias para salvar muitos casamentos; do contrário, o homem começará a abordar a esposa dos outros. Esse é um estratagema social para que ele não se enrede com a esposa dos outros – outras mulheres bonitas estão disponíveis.
Já é hora das religiões cristãs “insanas” o bastante, corrigirem esta situação de preconceito contra à diversidade sexual. Falem menos sobre sexo e repreensão, controle de intimidade e falem mais de amor. E ao apontar um dedo para alguém, se lembrem que tem quatro apontando contra eles.

*************************
“Se Deus não existe, então não há crime, não há pecado; tudo é permitido”

Dostoiésvk

*******************

Nenhum comentário: