Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

16 de maio de 2010

Capítulo 17: MÓRMONS - Igreja dos Santos dos Últimos Dias

Mórmons - Igreja dos Santos dos Últimos Dias

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ou Santos dos Últimos Dias (SUD), em inglês LDS, Latter-day Saints) fundada pelo norte-americano Joseph Smith (1805-1844). Tem sua sede nos Estado de Utah , nos Estados Unidos da América, na cidade de Salt Lake City, “cidade do lago salgado”, no meio do deserto nas Montanhas Rochosas. Teve início após atravessarem mais de dois mil quilômetros. O nome da Igreja está relacionado com o fato de estarem vivendo os últimos dias do fim do mundo.

Hoje está presente em mais de 160 países e possui mais de treze milhões de seguidores dos quais mais da metade estão fora dos Estados Unidos. Acreditam que todos são destinados à ressurreição, porque de acordo com o livro sagrado. Quatro séculos depois da ressurreição de Jesus Cristo, este veio visitar nossos ancestrais remotos e por isso são destinados à ressurreição. Eles têm o dever sagrado de batizar as almas mortas do mundo inteiro para reintegrá-las no seio de Deus, para garantir-lhes a ressurreição. Para conseguir isso, colocaram no computador os registros dos seus membros incluindo informações sobre a sua árvore genealógica, o estudo dos seus antepassados, as genealogias do mundo, embora isso possa levar algumas décadas.
“Família após família, reconstituímos o passado e descobrimos os ancestrais desaparecidos. Depois através do batismo vicário feito pelos seus descendentes, a ordenança como batismo, casamento e confirmação podem ser feitos mesmo depois do falecimento do familiar. Salvamos a sua alma e assim salvaremos as almas do mundo. A salvação só poderá ser alcançada se os antepassados aceitarem o Evangelho no “mundo espiritual”, lugar onde o espírito dos mortos aguardam a ressurreição. O mais antigo registro é de 1876 e o trabalho é feito há 30 anos”. Me explicaram, os dois simpáticos Élderes, os quais tive o prazer de conhecer. Só esqueci de perguntar se os “senhores das guerras” do passado, também poderiam ser incluídos e salvos.

Smith, afirmou que teve uma visão em 1820 com Jesus Cristo e Deus, num momento de oração, quando esses lhe disseram que todas as igrejas estavam desviadas em relação a seus princípios e que ele não deveria se firmar em nenhuma Igreja existente, que explicassem as origens daqueles viviam no continente americano, mas que restaurasse a verdadeira Igreja, assim como as verdades do Evangelho. Essa visão é conhecida como a Primeira Visão.
Smith teve uma revelação por meio de um anjo chamado Moroni, que o teria convocado para desenterrar um livro escrito em placas de ouro gravadas. Elas continham as Escrituras Sagradas de povos antigos das Américas, agraciados com a presença de Jesus Cristo após sua ressurreição. Traduzidas pelo dom e poder de Deus, tornaram-se o Livro de Mórmon, que deriva do nome do profeta Mórmon (pai do anjo que lhe apareceu), e cujo nome originou-se da combinação de more, que em inglês quer dizer: mais e com: mon, bom, em egípcio. O qual teria sido um dos autores e compiladores das escrituras que formam o livro. Smith escolheu três testemunhas e depois mais oito, para atestar a veracidade do livro, que é utilizado juntamente como complemento à Bíblia e constitui a base de fé da igreja.
Em 1830 foi fundada a Igreja. Cresceu rapidamente, gerando uma série de violentas e sangrentas perseguições e assassinatos que culminaram no assassinato a sangue frio de Smith e seu irmão em 1844. A comunicação direta com Deus não foi uma experiência de calma, beleza e lucidez. Não teve fim a religião com a por morte de seu líder, como pensavam os conspiradores. Seu assassinato acabou dando maior força a seus seguidores. Hoje, por causa dos missionários, que em geral são jovens entre 19 e 26 anos, é a religião cristã uma das que mais cresce no mundo. Alguns membros usam um anel, com as letras “CTR” significando “Conserva Tua Rota”, que serve como lembrança para guardar os Mandamentos.
No Livro dos Mórmons, existem muitas críticas devido a discrepâncias entre os ensinamentos do Livro de Mórmons e a Bíblia. Exemplos: como quando diz em que Jesus nasceu em Jerusalém, e a Bíblia diz que foi em Belém. Duas mil palavras são tiradas do Novo Testamento. Dos 350 “nomes” dos livros, mais de cem vem diretamente da Bíblia e outros cem foram plagiados. Do Velho Testamento 25 mil palavras foram tiradas em uma “licença poética”. Smith se recusou a mostrar as “placas de ouro” aos outros, dizendo que para os outros olhos elas significariam a morte. Não aceitam as principais doutrinas cristãs, como a Trindade, a Ressurreição, a Redenção e outras. São evolucionistas e acreditam que Deus também evoluiu. A alma preexiste. Deus é aquilo que o homem poderá ser, e o homem é o que Deus já foi.
Smith “o profeta” sabia ler um pouco, mas não sabia escrever corretamente e contratou um escriba. Ao serem concluídas a tradução para o inglês, todas as placas originais foram transportadas para o céu, onde aparentemente continuam até hoje. Dentro da doutrina mórmon, os seguidores enfatizam a família incentivando essas a permanecerem unidas na realização de seus estudos. Priorizam a ingestão de alimento de origem vegetal, não descartando a ingestão de carne moderadamente, não bebem álcool nem café. Não consomem drogas e nem fumam e muitos são vegetarianos. Outra característica da Igreja é o fato de armazenarem alimentos, a fim de estarem preparados para a vinda de Cristo.

Acreditam na trindade, na punição do homem por seus próprios pecados, no sacrifício de Cristo, na organização primitiva da igreja, na construção da Nova Jerusalém na América, na submissão às autoridades. Além da ênfase na família, o líder de cada congregação, denominado bispo, é responsável por detectar os necessitados e ajudá-los. Para que isso ocorra, o bispo envia dois homens ou duas mulheres participantes de uma espécie de grupo de apoio, para visitar os lares onde residem as famílias da Igreja para relatar ao bispo onde há necessitados e as mulheres mórmons auxiliam na prestação de socorro aos necessitados.

Eu mesmo, tive uma experiência agradável, quando em contato com dois helders, em missão religiosa, um americano e um brasileiro. de um fato ocorrido há dez anos, (antes de me reconverter), em uma cidade do interior, na qual há muitos anos eu já não residia mais.
Meu pai, de hábitos simples, com predicados éticos e morais e que fazia questão de ter uma assinatura de jornal da capital e a assinatura de uma revista (Seleções), acreditava em Deus. Quando crianças nos incentivava à freqüentar a Igreja todos os domingos, sempre acompanhados da nossa mãe, que não faltava e participava até do coral da Igreja. Ele um pobre aposentado, havia falecido. O corpo estava sendo velado na capela mortuária aguardando o sepultamento. Na época e por tradição que persiste até os nossos dias, o pastor da sua Igreja Evangélica foi convidado para realizar uma oração final. Mas para desagradável surpresa da família, a secretaría da Igreja, não aceitou enviar o pastor e assessor de Deus, para realizar esta missão. Alegaram que o mesmo estava em débito com suas mensalidades, se negando a enviar o emissário. A solenidade de encerramento fúnebre, foi realizada, contando com a assistência desses dois irmãos, sem altruísmo e de forma louvável, humanitária e solidária.
Por isso que, a minha a luta não é contra o homem, mas a bandeira que levanto, é que podemos viver perfeitamente sem essas igrejas “mercantilista”, que tem por lema: é dando é que se recebe. É por isso que sou um desapontado, um Bright, sou diferente, e contra certos dogmas e instituições religiosas. Abandonei a Igreja Evangélica em que fui batizado e catequizado, apenas fazendo o que os fundadores dessa religião fizeram há muito tempo, quando se afastaram da igreja católica. Poderia muito bem continuar a freqüentar os cultos e almoços festivos e comunitários da minha igreja e ser apenas um cristão liberal. Mas como não sou falso e dissimulado, descobri o óbvio. Na prática e na pesquisa, leitura e questionamento sobre todas as religiões do mundo que sobrevivem de milagres.Estudei diversas doutrinas além da cultura indiana, chinesa, tibetana, o Antigo Egito e diversas outras tradições esotéricas, com o privilégio de ter participado ativamente em algumas. Sou um homem de espírito livre que superou o fanatismo e a tolice na medida que tenho acesso a verdade universal. Que conheço ainda pouco. E a conclusão de que: as religiões tradicionais e suas ramificações, são fabricadas com crenças pré históricas no sobrenatural não justificadas através da submissão e rendição. Passaram se os anos e já não temo e não creio em um Deus que oferece recompensas como o céu e o inferno e não encontra explicações convincentes para o sofrimento da humanidade. Me tornei uma pessoa com espírito livre, defensor da paz e da harmonia entre os homens e com o meio-ambiente. Acho que o “Senhor” prefere descrença honesta à hipócrita fé e moral cristã do século I. Para mim: encontrar Deus é procurar um gato preto numa sala escura que não está lá.

Os jovens mórmons acima de 19 anos são incentivados pela liderança da Igreja a servir numa missão temporal integral, deixando seus lares por dois anos, trabalho esse voluntário. Levam a mensagem do evangelho restaurado a diversos países do mundo e seguem alguns de suas crenças básicas. A Bíblia e o Livro de Mórmons e uma coleção de pequenos livros, são a palavra de Deus. Na Igreja servem homens e mulheres em cargos de liderança. Cada membro é incentivado a “crescer em graça e sabedoria” e se capacitar a servir na Igreja, entretanto o sacerdócio é dado somente aos homens dignos da Igreja.
O batismo é por imersão e a partir dos sete anos, porque a criança, antes dessa idade, é considerada anjo e não tem pecados. A partir dos 12 anos, todo membro do sexo masculino, considerado digno, pode ajudar a cuidar dos vários deveres da Igreja e já pode ser ordenado ao Sacerdócio Aarônico (ou ”menor”) e, aos 18 anos ao Sacerdócio de Melquisedeque (ou “maior”).
A hierarquia da igreja segue uma forma piramidal. Os cargos eclesiásticos são voluntários e não remunerados. Apenas os funcionários registrados como engenheiros civis, pedreiros e administradores recebem remuneração pelo seu serviço. Alguns missionários que atuam em tempo integral recebem ajuda de custo, mas eles são incentivados a custear sua própria missão. Em nível congregacional, os élderes, os bispos e os presidentes das estacas (distritos) supervisionam os bem-organizados assuntos da Igreja, através de um conselho de 12 apóstolos viajantes, cuja sede fica em Salt Lake City, onde fica a jurisdição mundial. O Presidente da Igreja, apoiado como profeta, vidente e revelador e dois conselheiros compõem o corpo que preside a igreja, chamado de Primeira Presidência. Historicamente, o membro mais antigo do Quorum dos Doze Apóstolos é também o Presidente do mesmo e assume a presidência da Igreja, junto com outros apóstolos. Quando falece, o cargo passa para o segundo apóstolo mais velho, mesmo assim precisa receber o apoio de todos os outros apóstolos. Existe também o Quorum dos Setenta e cada setenta tem o título de “Elder”. Servem em diversas partes do mundo, recebendo instruções do Quorum dos doze apóstolos e do profeta vivo, que repassam as instruções à s autoridades locais da Igreja ou seja, ao presidente da Estaca ou Distrito, e bispos ou Presidente de ramo.
O casamento no Templo de Salomão (Joseph foi maçom), é conhecido como o “selamento”. É eterno, mesmo depois da morte do casal, o casal continua casado sendo considerado o mais desejável dos convênios realizados por um mórmon. Eles acreditam que ao fazer e honrar esse convênio transforma o seu casamento civil e temporal em eterno, ou seja “para o tempo e para toda a eternidade” e não “até que a morte os separe.” A família é eterna e recebe uma atenção especial.

Existe uma ramificação da Igreja que perdura até os nossos dias, composta pelos Mórmons Fundamentalistas. Acreditam e praticam a poligamia (mais de uma esposa), secretamente em Utah e outros estados vizinhos, embora a lei americana proíba tal prática. Um líder fanático criou uma seita religiosa no Texas – EUA, dissidente dos mórmons, onde tem em sua fazenda 60 esposas e recentemente foi condenado à prisão, da onde continua dirigindo a Igreja. Está sendo acusado por violência e abuso sexual de 16 crianças nos Estados Unidos. É o que acontece quando o fanatismo religioso impera e foge do controle da racionalidade.

“Mórmons não bebem nem álcool nem café,
não consomem drogas e nem fumam”.


************************

Nenhum comentário: