Novidade!!! Lançamento!!!

Novidade!!! Lançamento!!!
Livro em formato E-Book

Translate

Seguidores

Total de visualizações de página

Minha lista de blogs

Páginas

3 de dezembro de 2011

EU NÃO SABIA QUE PODIA SER TÃO FÁCIL ME LIVRAR DA RELIGIÃO


“EU NÃO SABIA QUE PODIA SER TÃO FÁCIL ME LIVRAR DA RELIGIÃO”

A ciência tem provas sem certeza.
Os teólogos têm certeza sem qualquer prova.” Ashley Montagu

Tem gente que não sabe o que é ser ateu… mas basicamente ser ateísta é não precisar de um Deus nem de deuses para justificar os próprios atos. Não é simplesmente “negar” a existência de deus/deuses. É assumir a responsabilidade de estar vivo e viver conforme a própria consciência, fruto do funcionamento cerebral.
Ser ateísta, irreligioso, humanista secular, racionalista,  ou livre pensador, portanto é não ter vínculos com outras realidades supra-humanas, é estar livre para decidir por si mesmo, sem medo de estar indo contra ou esperando estar a favor de algum tipo de supra-consciência à qual se deva obediência e submissão cega. É reduzir as crenças a um número limitado delas, focadas no aqui/agora. É não se saber ligado aos demais por algum tipo de poder sobrenatural mas simplesmente pelo fato de “apenas” ser um ser humano convivendo entre os demais seres humanos e de acordo com as leis humanas. É não esperar recompensa por seus atos senão aquelas que outros seres humanos possam oferecer como recompensa.

SER ATEÍSTA e IRRELIGIOSO É SER “SIMPLES”, é ter cortado todo excesso, é enxergar a vida pela perspectiva humana, sem a necessidade de deificá-la nem a necessidade de idolatrar a quem quer que seja. E lógico que ateístas têm fé, Fé em si mesmos mas ela não os “cega”, pelo contrário, ela faz abrir os olhos para o que está acontecendo a fim de que se tomem as medidas necessárias, sem acreditar numa outra justiça maior do que aquela que possa ser levada a cabo por si mesmo ou pelos desígnios humanos.
Da mesma forma como não há provas da existência de Deus e, caso alguém afirme categoricamente que Ele existe o ônus da prova (e suas falácias) recai sobre quem afirmar. Também não há provas de que ele “não existe” ( embora existam argumentações sólidas sim) e nenhum ateísta se engajará de buscar as provas de uma “não existência”, uma vez que não há meios de provar algo que não existe…
Contudo, há meios sim de aceitar a existência de algo que comprovadamente existe. Portanto, para um ateu deixar de ser ateu bastaria que alguém provasse a existência de Deus, coisa essa que os teístas em sua Fé em Deus ainda não foram capazes de provar… e aí? Qual o problema em ser irreligioso ou Ateu? Se para que Deus exista basta que se creia nele, alguém que negue a necessidade de crer em Deus não pode ser tomado como portador de uma “fé” cega… apenas alguém não preocupado com o que não faz falta.

FAÇA UMA EXPERIÊNCIA: tire Deus/deuses do palco da existência e veja, perceba o que sobra. O que sobra?
A mesma vida de sempre… contudo muito mais “ameaçadora” pelo fato de exigir a própria tomada de decisões ao invés de depositar-se tais decisões em alguém ou algo além de “si mesmo”. Perceba que não tem mais ninguém observando seus atos além de você mesmo e assim qualquer coisa que você faça estará de acordo apenas com a sua vontade, não a vontade de um ser superior a você. Pense nisso.
A crença em Deuses antes de ser uma “necessidade” dos crentes é o maior dos vícios. Ela expressa imaturidade e a necessidade de um Pai guiando os próprios passos de quem estiver “viciado” em acreditar num “pastor”, num condutor. É alienante e altamente prejudicial ao desenvolvimento pleno da potencialidade humana… Visto dessa perspectiva, um Ateísta só perdeu o vício, como alguém que deixa de fumar, como alguém que deixa de beber, como alguém que deixa de se drogar e entorpecer… Um ateísta “sabe” que ele é o responsável por qualquer atitude que venha a tomar. Daí a opção pela Ética acima de tudo.
Há várias questões para as quais Deus e a espiritualidade é a resposta, e que de certa forma quem tentar respondê-las pode vir a fundamentar-se na crença em nele ou em espíritos, vida no além, a fim de “validar” as possíveis respostas…

Como a Matéria sem vida cria vida? A resposta seria: através da vontade de Deus? Ou…
Um segredo? Qualquer porção de matéria que contenha os ingredientes necessários ao desenvolvimento de organismos simples, ganha “vida” no correr do tempo sob as condições propícias ao desenvolvimento de tal “vida”. O Universo parece ser apto ao desenvolvimento de vida, a matéria parece ser apta a desenvolver seres conscientes em algum ponto da jornada evolutiva… mas e aí? Acrescentar um ingrediente a mais em algo não faz desse ingrediente uma necessidade… a menos que se prove que “SEM” tal ingrediente a vida não se forma… Mas isso é prova da existência de Deus ou apenas uma das várias qualidades da matéria que ainda não conhecemos totalmente?

ATOMISMO
A começar por Demócrito, que, cinco séculos antes da era cristã, intuiu a existência do átomo em um exercício mental de um vigor espantoso. Diante da afirmação de que tudo era matéria, tudo era átomo, a fé sentiu-se contrariada.
Somos feitos de matéria e energia. Tudo no Universo é constituído por átomos. Já faz mais de um século que a ciência descobriu que toda a matéria no Universo é constituída de átomos. Tudo no Universo seria energia vibrando, inclusive o que chamamos de matéria. Ou seja já conhecemos mais 7 elementos: Neutrinos, elétrons, quarks, glúons, bósons, fótons, grávitons, que comandam átomos e moléculas que interagem entre si. Uma nova visão da realidade, sobre do que somos feitos. Leia Uma nova visão da realidade, em:
http://contextopolitico.com/?p=804

Dito isso, fica claro que o conceito de Deuses e a imagem dos céus como moradia, está outra vez excluído das preocupações da ciência, pois as leis da Física e pela nova Cosmologia são suficientes para explicar todo o Universo, inclusive sua aparição, e dos Planetas.
Somos animais como todos os demais. Temos sentidos que ainda não conhecemos. Alguns animais têm sentidos mais apurados que outros… percebem variações sutis na atmosfera, vibrações sutis na forma de sons inaudíveis mas que podem ser sentidos pelas partes moles ou ocas do organismo. Nós percebemos estes sons inaudíveis… percebemos o campo magnético da Terra, percebemos de que forma está tudo interligado na teia da vida… mas isso é prova de que Deus existe, ou apenas uma das condições de se estar vivo e imerso num sistema fechado onde tudo co-participa e é co-dependente? A suposta “ligação” entre as pessoas a quilômetros de distância pode ser simplesmente fruto de algum sentimento que as une e isto sim deveria ser estudado, a forma como o Amor faz romper barreiras entre o Eu e o Outro… mas o Amor é prova da existência de Deus? Ou é algo “imanente” na própria “vida”? O que é o Amor para que possa ser confundido com um “algo mais” além de nós mesmos?

Como a Matéria sem propósito criou o propósito e a ordem?
Mas, quem “vê” tal ordem? Quem “vê” tal propósito senão nós mesmos? O universo é um caos que nós percebemos ser ordenado… a inteligência é capaz de ver tal ordem… mas isso é prova de que Deus existe? Ou a necessidade de “ver” tal ordem nasce da necessidade de compreender o caos? “Ver” padrões indica que algo está sendo compreendido, nosso cérebro funciona assim, ele seleciona partes desconexas e as agrupa conforme as semelhanças encontradas entre elas… onde está Deus na ordem que nós mesmos emprestamos ao Universo?

E a REENCARNAÇÃO… como se explica sem a existência de espíritos e Deus?
Hum… Você sabe como o cérebro funciona?
Nem os cientistas sabem completamente… mas estão pesquisando ao invés de atribuir as qualidades desse órgão à existência de um Deus Design ou de uma consciência migratória. Sabe-se hoje em dia que tudo o que experimentamos nasce do equilíbrio físico-químico das reações que desencadeiam os pulsos elétricos a serem transmitidos em cadeia pelos
neurônios dentro do cérebro. Ampute-se uma parte disso, lesione-se alguma região lá dentro da cabeça de um indivíduo e a “personalidade” diferenciada por algum ou outro atributo já não existe mais!

“SUPERSTIÇÃO” …que palavra estranha esta! Se a gente acredita no bom Deus, isto se chama ter “fé”. Mas se a gente acredita em astrologia ou sexta-feira 13 o nome muda para “superstição”!

As doenças são um castigo dos deuses? Será que alguém acredita nisso hoje em dia? Muitas pessoas ainda consideram doenças como AIDS, como um castigo de Deus. Ora, isso significa que, para elas, deve haver um dedo de Deus na decisão sobre quem deve adoecer e quem deve continuar sadio. Se fosse Deus, forças místicas ou o destino, as pessoas não teriam livre-arbítrio. Não acreditamos que uma pessoa enferma possa ser curada por meios “sobrenaturais”. Não acreditamos na interferência de forças espirituais sobre a vida. Assim, não acreditamos que o homem tenha uma alma imortal. Vivemos uma boa vida (Carpe diem) porque nós libertamos do medo da morte. Não precisamos mais temer os deuses e se preocupar com a morte. È fácil alcançar o bem. É mais fácil suportar o que nos amedrontava. Ou seja, vivemos o momento, não acreditamos na ressurreição da carne, imortalidade da alma e da vida eterna.
Assim só para concluir, ser Ateu e Irreligioso não é negar a maravilha, o grandioso, o magnífico. É simplesmente não precisar de explicações com base na “fé cega” para algo que carregamos. Se Deus (es) existem, ou Ele não pode fazer nada para impedir as mais terríveis calamidades, ou então Ele é impotente, ou então é mau. E ainda qualquer Deus que se preocupe com coisas tão triviais como o casamento gay, ou o nome pelo qual Ele é chamado nas orações, não é tão inescrutável assim. Os ateus consideram outra possibilidade, claro, que é ao mesmo tempo mais razoável e a menos odiosa: o Deus bíblico é uma ficção, tal como Zeus e milhares de outros deuses mortos que a maioria dos seres humanos mentalmente sãos hoje ignora. E quando Você argumenta que seu Deus é verdadeiro, aí toda a sua tese desmorona, porque cada cultura tem uma inspiração divina que aponta para uma dimensão mágica diferente, governada por um criador do universo diferente. Para o seu Deus existir, todos os outros precisariam existir também. Não há porque considerar apenas o “seu” D!us verdadeiro.

TIRE DEUS AGORA E O QUE SOBRA? O Universo, toda a maravilha e beleza que nós experimentamos a partir de nossa inteligência e nossa capacidade de vermos padrões e ordenação. Não há palavras para se descrever o fato de sermos partes disso tudo e termos inteligência para perceber a grandiosidade e a infinidade contida em cada porção mínima de matéria. Quem já tenha lido sobre a física de partículas, sobre Mecânica Quântica já faz uma idéia: A maravilha não para no átomo, ela adentra ainda mais esse mundo diminuto estendendo-se para além dos limites de nossa compreensão. Para quê Deus e tudo o que nos condicionamos a acreditar que Ele represente para nós? Já não basta estarmos vivos e experimentando o mundo? Para que um regente supremo de nossos atos além de nós mesmos? E se tudo é imensamente maior do que percebemos, para que cedermos a uma certeza que é a Fé na existência de um Deus?
Percebe? Ser ateu é ater-se ao presente e simplesmente vivê-lo… é estar ancorado no meio do nada que se faz tudo quando é observado e vivenciado a partir da inteligência seja ela humana ou animal, seja ela inerente à matéria ou não, não importa.
Para ser mais claro: a humanidade está diante de questões importantes, para as quais não é fácil encontrar uma resposta adequada. E então abrem-se duas possibilidades: podemos simplesmente enganar a nós mesmos e ao resto do mundo como se soubéssemos de tudo o que vale a pena saber uma conversa da idade do bronze), ou então podemos simplesmente fechar os olhos para questões importantes e desistir para sempre de ir em frente. Um ateu tem grande confiança na razão humana e na ciência enquanto fonte de conhecimento do mundo. Por meio da razão, que de certa forma é o oposto de achar e sentir, o indivíduo isolado pode sair das trevas das cavernas e buscar a luz e a realidade do mundo. Somos felizes porque desenvolvemos e utilizamos todas as nossas capacidades e possibilidades, através do equilíbrio e da moderação alcançamos a harmonia.
Muitos ateus, céticos, humanistas seculares, racionalistas e Livres Pensadores como eu, que defendem o Estado Laico, a Teoria da Evolução à gênese bíblica não conseguem ficar à parte das discussões que impedem, as transfusões de sangue, aborto, relações com camisinha, homofobia, direitos humanos, evolução científicas, transplantes, origem do universo, evolução, massacres, genocídios ou atos terroristas (provocados pela intolerância religiosa) ou pregações dos mercadores da fé, doutrinação infantil, preconceito contra não – crentes,… em moda no Brasil.


Recorde que a história da maioria de religiões é sangrenta, cruel e repressiva, não importa como muita eles reivindicam ser baseada no amor. Os cristãos abusaram, atormentaram, insultaram, torturaram e mataram pessoas durante séculos, com base em uma leitura teologicamente defensável da Bíblia. Num tempo de guerras e ataques terroristas com motivações religiosas, o movimento pró-ateísmo ganha força no mundo todo. Razão pela qual até 2050 as religiões podem ser radicalmente extintas em nomes países ricos (Canadá, Austrália, Áustria, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Suíça e Republica Tcheca), conforme pesquisa da American Physical Society. Como então, Você pode argumentar que o seu Livro Sagrado oferece a expressão mais clara da moralidade que o mundo já viu?

Não esperamos um d!us resolver os problemas do mundo. Olhe à ciência, a tecnologia e o humanismo como ajudam. A religião lhe diz como ir para o céu, a ciência como funciona o céu. Ateus, não são contra os religiosos de qualquer denominação ou credo, mas sim as idéias deles com seus dogmas, que não estão acima da crítica. O que buscamos não é apenas provocar os religiosos convictos, mas principalmente levar os religiosos “por inércia” a pensar racionalmente a sua crença, numa entidade divina ou sobrenatural, seja Alá, seja o Deus católico, evangélico ou judeu, russo ou americano, trocando-a pelo orgulho ateu e pelo amor à ciência.

Nenhum comentário: